Formatura 3 meses atrás | Jucelene Oliveira

SGE aposta em tecnologia e segurança para o mercado de formaturas

Para o fundador do SGE, uma obra de qualidade nasce em dois momentos: "pelo pioneirismo ou pela inquietude causada pela concorrência"

por Revista FHOX

Sim, é possível gerenciar seu negócio de formatura aonde quer que você esteja, 24 horas por dia e de maneira prática. Essa é a proposta do SGE, o Sistema de Gestão de Formaturas e Eventos mais utilizado no Brasil.

A empresa nasceu em 1999 quando seu fundador, Hélio Galvão, tinha apenas 20 anos. Naquele momento, a ideia era formalizar seu trabalho. “Nesta época eu realizava a manutenção de computadores e desenhava pequenos projetos de rede. Cursava Engenharia Elétrica na UERJ, porém o envolvimento com a informática me reservou outro destino, não apenas em termos acadêmicos, mas também profissionais”, relembra.

Ele conta que o envolvimento com o mercado de formaturas ocorreu em 2001. “Foi quando tive a oportunidade de aprender a mecânica dos processos ao prestar serviços para uma empresa do Rio de Janeiro. A partir desse momento foram longos anos de trabalho e mudanças até que o SGE (Sistema de Gestão de Eventos) de fato surgisse no mercado como um serviço inovador”, explica.

Ao ser questionado sobre os diferenciais competitivos, ele destaca a relação de atendimento que oferece ao seu público. “Apostamos em uma operação enxuta e com profissionais capacitados – o que reduz a burocracia e garante um retorno de qualidade para o cliente final. Além disso, investimos constantemente em melhorias para o sistema e na segurança dos dados. Talvez esse seja o principal motivador da longa jornada do SGE”, pontua.

Turma de Direito
Turma de Direito, em Belém do São Francisco. Foto: Alessandro Correia (Petrolina /PE)

O marketing do SGE

Pela experiência adquirida ao longo dos anos, Galvão pontua que a constante preocupação em melhorias, inovações e atenção ao atendimento prestado é o que tem impulsionado o marketing do SGE para atingir as empresas de formatura.

“Grande parte de nosso marketing é indicação. Sabemos que um trabalho bem feito traz outro cliente, mas também investimos em mídias impressas, digitais e feiras para expandir cada vez mais o serviço que prestamos”.

Apesar de ter um retorno positivo do cliente final, Galvão não se deixa envaidecer. Para ele, embora a aceitação no mercado seja grande, ela pode também representar “uma faca de dois gumes”. Ele esclarece que neste cenário “qualquer ação positiva ou negativa será sempre amplificada”. Por isso, a atenção deve ser redobrada.

“Costumo ver isso mais como um ‘elemento fiscalizador’ que chama a nossa atenção para continuar investindo e evoluindo, afinal, sabemos que há sempre algo a melhorar”, avalia.

Quando o assunto é a concorrência, sua opinião é direta. A de que precisam investir mais em tecnologia, segurança e atendimento – além de balizar melhor os preços ofertados ao consumidor final para cobrir estes custos.

“Para nós há uma grande diferença entre o preço e o valor de um serviço, pois a partir do momento que o cliente não consegue enxergar as reais diferenças entre os concorrentes, seguirá provavelmente na pior relação custo x benefício”. Além disso, acredita que uma obra de qualidade nasce em dois momentos: “pelo pioneirismo ou pela inquietude causada pela concorrência”.

Fotografia impressa e relacionamento com a FHOX

Sobre o mercado de fotografia impressa para formatura nos próximos anos em detrimento ao enorme crescimento do mercado digital, o fundador do SGE destaca que “a expressão em papel possui um valor sentimental muito grande”, o que o faz acreditar na longevidade da fotografia impressa.

“O mercado de formaturas se encontra hoje em um modelo híbrido, digamos assim, porque há demanda de material impresso, como o digital”, conta.

“Outro grande ponto de destaque é o uso de mídias eletrônicas para facilitar a venda do impresso e isso não pode ser confundido. É uma prática cada vez mais comum e acredito ser um estágio intermediário caso as novas gerações optem apenas pelo material digital”, avalia.

Um pouco mais da trajetória

Nesses 30 anos de FHOX no mercado da fotografia (comemorado em dezembro passado), Galvão destaca que o trabalho com o SGE é um misto entre parceria e prestação de serviços.

“De um lado, precisamos investir em propagandas e feiras organizadas pela FHOX; de outro atendemos um segmento em comum da fotografia: as empresas de formaturas. De uma forma geral os resultados são positivos. Entendemos que este nicho de mercado precisa de atenção e de bons serviços. É simples: se todos estiverem bem, nós, como fornecedores, também estaremos”, conclui.

Ele também destaca que o trabalho da FHOX deu um grande salto em qualidade. “A evolução do material impresso, a qualidade das matérias, as ideias para cada ano que entra e a preocupação em manter todo esse processo vivo são notórios”.

Fotografar 2020.
Fotografar 2020.

Projetos futuros 

Sobre as mudanças da FHOX para 2020, como a troca do local da Feira Fotografar (para a Oca) e sua data (agora em agosto), Galvão aposta com entusiasmo. “Sou do tipo de pessoa que, nesses casos, continuará seguindo o plano. Estaremos lá e avaliaremos o resultado durante e ao final do evento. Estamos no mesmo barco”.

O SGE dispõe de uma série de ferramentas para uma administração completa e simplificada, que vai desde a gestão comercial e financeira, passando pela produção de eventos, controle de estoque, álbuns e fotos, cobrança automática, marketing, portal e aplicativo do cliente. Inclui um banco de formaturas para arrecadação, dentre outros recursos. Para saber mais, acesse aqui.

CREDENCIAMENTO GRATUITO PARA A FOTOGRAFAR 2020

Está animado para a Fotografar 2020? Então clique aqui e faça agora o seu credenciamento gratuito. Vai ser um prazer tê-lo conosco em um evento que está sendo planejado com tanto cuidado e carinho.