Negócios 8 meses atrás | Leo Saldanha

Facetune: o novo unicórnio da fotografia

Aplicativo acaba de receber um novo aporte de 135 milhões de dólares se tornando mais um unicórnio da fotografia

por Revista FHOX

Facetune é um app popular que faz sucesso nas lojas de apps da Google e da Apple. Voltado para edição de fotos, a ferramenta serve para ajustar imperfeições das mais variadas em selfies. E como tudo voltado para autorretratos, parece ter conseguido bons resultados. Em 2017, o app chegou a ser o mais popular da Apple na plataforma de aplicativos da marca. E isso, mesmo com a forte concorrência de inúmeros outros produtos digitais similares no mercado.

Por conta dessa força, a empresa acaba de receber um aporte da Goldman Sachs Private Capital Investing (em conjunto com Insight Partners e ClalTech) da ordem de 135 milhões de dólares. Tornando-se assim um novo unicórnio israelense (empresa avaliada em 1 bilhão de dólares). Por trás do Facetune está a Lightricks, empresa israelense com base em Jerusalém que conta com 260 funcionários. A marca possui outros produtos digitais fotográficos: caso do Enlight (que inclusive também tem impressão) e Swish (vídeos para campanhas de marketing nas redes sociais e com enfoque mobile).

Leia também: Quem realmente está ganhando dinheiro com fotografia?

Assinatura que funciona – Graças a esses três apps, a Lightricks teve 180 milhões de downloads nos apps pagos desde 2015. A ideia das assinaturas dentro dos aplicativos se mostrou acertada. Para se ter uma ideia, o Enlight tem 1 milhão de assinantes e o Swish (de vídeo, tem 2 milhões). A empresa já prepara novas opções de produtos por assinatura para breve. Sinal de que está funcionando. Nem tudo é perfeito na jornada do Facetune e de ferramentas de “Photoshop para selfie”. Todas essas aplicações são acusadas de estimular a distorção da imagem pessoal de cada usuário e reforçar uma estética da vaidade acima de tudo. Mesmo com as críticas, a base de assinantes pagos não para de crescer. A empresa diz que a nova rodada de investimentos vai ser usada para criar ainda mais ferramentas para os usuários. E talvez adquirir outras empresas que possam ser estratégicas nesse processo de crescimento. O que fica claro desse case é que a “onda selfie” segue forte e presente. E que as pessoas que assinam esses produtos querem se ver mais bonitas e estão dispostas a pagar por isso. Mesmo que seja só para ficar mais bonito na telinha do smartphone.

>> UMA NOVA FORMA DE ACESSAR O CONTEÚDO FHOX 

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.