Conheça o Mercado FHOX! O marketplace especializado no mercado de fotografia e imagem!


Além da segmentação: criando produto com base em necessidades

O clássico dos pilares do marketing indica que devemos criar produtos (e todas as ações de marketing) com base no perfil do cliente. Será que esse caminho ainda faz sentido?

Sem complicar e indo direto ao ponto. O marketing é sobre atrair e manter clientes. E isso ficou mais cheio de desafios com o mundo online em que vivemos. Contudo, por outro lado, nunca tivemos tantas possibilidades de conhecer o que uma pessoa quer e criar para ela. Basicamente esse seria o caminho para o marketing mais humano (e em tempo real) que estamos vivendo. Ou seja, procure seus clientes ou potenciais clientes e crie com base nas necessidades deles. Para fotógrafos, não chega a ser uma coisa tão simples. Sobretudo por conta do estilo de muitos que seguem uma linha do tipo artística. Na prática isso quer dizer: eu tenho minha arte e você se gostar que venha fazer comigo. Isso funciona para marcas consagradas e para nichos específicos. Já para quem quer viver do negócio da fotografia fica mais complicado. 

O que não quer dizer que não possa existir um equilíbrio. Você tem sua assinatura, seu estilo e um propósito. E pode projetar seu trabalho para atrair pessoas que acreditam e veem os mesmos valores que você. Se der “match” então temos a possibilidade da criação compartilhada, a co-criação. Empurrar produtos para clientes parece fazer cada vez menos sentido. Na verdade, a personalização está presente em tudo. Da playlist do Spotify até as roupas e o que comemos. Por que seria diferente com a fotografia? A medida do marketing mais humano pede um apelo e abordagem distintos: de encontrar produtos para os clientes. De fazer algo que eles precisam. Para tanto você tem que estudar o comportamento, conversar, notar as possibilidades e demandas. Não é para menos que muitos empreendedores dentro e fora da fotografia, criam serviços e produtos inovadores e de sucesso com base em demandas não atendidas pelo mercado. Foi assim com a Phosfato, foi assim com a Banlek e com a Digipix. Essas iniciativas surgiram de benefícios percebidos para os clientes. Online, comodidade, facilidade, surpresa, segurança e confiança. O digital quase sempre estará presente nestas abordagens. 

grayscale photo of woman flicking hair

Então a provocação que fica é direta: talvez a segmentação para criar o produto ou mesmo fazer o marketing seja muito limitada. E a melhor forma de criar um produto e divulgá-lo é justamente entendendo qual o benefício necessário ao mercado (pessoas). Pense nisso? E se…é um bom começo de frase para exercitar isso. 

Dentro da proposta do P.I.C. Foto+Produto esse é um dos caminhos possíveis. Um programa para você criar um produto diferenciado com o pensamento em necessidades das pessoas. Se quiser saber mais e desenvolver um produto de valor com foto então clique aqui: P.I.C Foto+Produto.