Apoie a FHOX Impressa e garanta recompensas incríveis!


Parece que os fundadores do Instagram estão de partida

 

Desde as eleições de 2016 que o cenário para o Facebook ficou complexo. De acusações de atuar como uma ferramenta contra a democracia até o uso indevido de dados dos usuários. O fato é que embora está com 2 bilhões de usuários, o Facebook perdeu usuários jovens e o engajamento da rede social também segue em queda. Sorte que o Facebook comprou o Instagram por 1 bilhão de dólares em 2012. A rede social fotográfica cresceu e se transformou. Os dois fundadores, Kevin Stystrom e Mike Krieger (nascido no Brasil) ficaram no Instagram porque tiveram respaldo e liberdade para trabalhar. As ferramentas funcionariam de forma independente. Parece que a influência do Facebook sobre o Instagram e o caminho que a empresa seguiu nos últimos anos não agradaram os dois criadores do Instagram. Embora não existe confirmação oficial, a matéria no NYT diz que fontes muito próximas dos dois dão como certa a saída deles. E que provavelmente envolve a falta de independência.

Os dois trabalham juntos desde 2010. O Instagram nem chamava Instagram e teve inúmeros desafios no começo. Antes chamado de Burbn, quase quebrou em determinado momento do começo da jornada. O Instagram surgiu da paixão de Systrom por fotografia. Foi na Itália que ele teve contato com câmeras analógicas e acabou tendo a ideia da redes social. Krieger veio depois e ajudou muito com o desenvolvimento da ferramenta. Quando o Facebook comprou o Instagram eram só 30 milhões de usuários. Hoje, com 1 bilhão de instagrammers, a rede social perdeu muito do que tinha como essência. Deixou de ser só fotografia para ter vídeos. Copiou o Snapchat e a cada duas semanas (as vezes semanalmente) lança alguma novidade. O Stories se tornou um canal forte e o fim da ordem cronológica acabou incomodando muito da base fiel. Hoje muitas pessoas vivem do Insta. Blogueiros e negócios tem a redes social como principal canal de divulgação. A decisão dos fundadores do Instagram não é um caso isolado. Já que os fundadores do WhatsApp também abandonaram a empresa. E nesse caso se posicionaram claramente contra a forma de trabalho do Facebook.

O site TechCrunch diz que fontes próximas indicam tensões crescentes entre as lideranças do Instagram e do Facebook. Sobretudo por conta da falta de autonomia do Instagram. Mais do que isso, Systrom e Zuckerberg estaria tendo discussões mais frequentes sobre a influência e avanço de funções do Facebook no Instagram. Algo que os próprios usuários do Instagram já reclamavam faz um tempo. Ambos Systrom e Krieger disseram que vão tirar um tempo de folga sem dizer exatamente o que farão daqui para frente. Bem que eles poderiam lançar um novo concorrente bacana para o Instagram. Quanto ao futuro do app de fotos e vídeos, resta saber quem vai assumir o comando da rede social. Quem quer que seja, terá um desafio e tanto pela frente.

Foto: Noah Webb

FHOX: mais que uma revista, uma ferramenta indispensável para quem vive fotografia

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.