2 meses atrás | Leo Saldanha

O novo negócio dos filtros de realidade aumentada personalizados

Destaque em matérias recentes da Wired e no Estadão, profissionais estão enfocando na criação de filtros exclusivos para marcas

por Revista FHOX

Você entrar no Instagram ou no Snapchat e escolhe um filtro exclusivo criado para um show, uma loja, uma peça de teatro e por aí vai. Esse tipo de “produto” ganhou força depois que as duas redes sociais abriram canais para a criação desses conteúdos para qualquer um que queira criar algo único. Vale dizer que são filtros de RA (realidade aumentada) e que servem para os mais variados fins e aplicações. E é importante ressaltar que tanto Snapchat quanto Instagram precisam aprovar esses filtros para depois disponibilizar os itens digitais para que qualquer um possa baixar.

foto: Nexting Academy

Avançando no Brasil – Essa matéria do Estadão mostra que aqui no Brasil diversos profissionais estão apostando nesse ambiente e no desenvolvimento de filtros para Instagram e afins. O texto do Estado de SP mostra que profissionais estão faturando com essas opções. Um designer citado na matéria diz faturar 2 mil reais por mês com esse trabalho. Diversos profissionais estão investindo nessa nova área de olho nas possibilidades de atuar com marcas na criação de obras exclusivas.  O que paira de dúvida em relação ao avanço dos filtros em RA é da adaptação do modelo de negócio para o consumidor final. A grande questão é se algum empreendedor vai encontrar uma forma de tornar isso um negócio também para atender o público em geral de uma forma mais individual? E se teria apelo para tanto? Difícil dizer como seria isso.

Arte de Ines Alpha aplicada nela mesma. Foto: Alexandre Haefeli

Maquiagem com realidade aumentada – A matéria de Wired do Reino Unido traz a história da francesa Ines Alpha, especialista em design 3D e diretora de arte que começou a criar esses filtros RA para marcas como a Nike. Na prática são produtos digitais únicos e customizados para cada marca compradora. A ideia no trabalho de Ines não é enfocar em maquiagens que tornem a pessoa irreal. Na verdade, o conceito contorna o aspecto de criar um “eu perfeito”. O que é o alvo nesse tipo de filtro é um realce, uma aplicação artística. É isso que Ines faz com esses filtros, verdadeiras obras autorais digitais. E na visão dela, as pessoas estão brincando e experimentando a realidade aumentada nesses filtros para criar um tipo de beleza diferente.

O boom está vindo? Ines foi aprovada para o uso e acesso ao sistema Instagram’s Spark AR Studio que permite criar as peças virtuais. Desenvolvedores do Instagram estão testando as criações da artista o que demonstra a importância do trabalho dela e indica claramente como esses filtros devem avançar cada vez mais nas nossas vidas. O Facebook em apresentações recentes mostrou que a realidade aumentada e a câmera do aplicativo serão funções primordiais que devem ditar a forma como nos relacionamos com tudo nos smartphones e nas redes sociais. Lembrando que TikTok e Snapchat também investem muito nessa tecnologia. Especialistas dizem que a realidade aumentada em poucos anos será tão grande quanto o fenômeno do smartphone. Hoje serve mais como uma forma de entreter e divertir as pessoas. Mas como diz o livro “diversão” – Se quiser saber onde está o futuro é aonde as pessoas estão se divertindo. Resta saber como os fotógrafos e empreendedores da imagem vão participar dessa brincadeira.

Na atividade R.U.M.O. da Escola de Negócios FHOX orientamos e alinhamos os conteúdos justamente para os novos negócios que estão surgindo para essa nova fase da fotografia.