Lançamentos 1 mês atrás | Redação

Fujifilm lança nova câmera X-Pro3

Lançamento chegará em novembro ao mercado. Mirrorless premium da marca traz nova simulação de filme e uma série de outros recursos avançados

por Revista FHOX

A Fujifilm anunciou hoje oficialmente a X-Pro3. O equipamento chegará ao mercado até o fim de novembro. Vale lembrar que a primeira X-Pro1 foi lançada em 2012 e fez grande sucesso naquele momento. Se tornou um novo clássico sendo usada hoje por fotojornalistas e fotógrafos sociais. A X-Pro3 chega com diversos avanços importantes. Entre eles um corpo extremamente resistente e ao mesmo tempo bem compacta e leve. Segundo o comunicado oficial, a X-Pro3 vem com sensor retro iluminado de 26.1MP “X-TransTM*2 CMOS 4” e o dispositivo de processamento de imagem “X-Processor 4” apresentado primeiro na FUJIFILM X-T3 e depois na FUJIFILM X-T30, para garantir que o nível adequado de desempenho e qualidade de imagem de um modelo principal seja atendido.

De acordo com a Fujifilm, a câmera oferece a combinação e novo firmware AF de detecção de fase agora opera com a luminância de -6EV, próximo à escuridão completa. O novo Advanced Hybrid Viewfinder utiliza um painel EL orgânico de 3,69 pontos e tem luminância alta e reprodução avançada de cores para auxiliar fotógrafos e aprimorar a experiência do visor. Além da nova simulação de filme “CLASSIC Neg”, que simula filme negativo colorido com alternância de tons, que era normalmente utilizados para fotografias cotidianas.

>> Os episódios de maior audiência do FHOXCast em 2019

O que sites de tecnologia e fotografia de fora dizem é que essa nova mirrorless da Fujifilm é a melhor de todos os tempos já lançada pela fabricante japonesa. Com corpo muito durável em titanium e revestimento premium. E isso com design elegante e atraente. São duas versões de cores: preta e prata.  A estrutura interna da câmera é de liga de magnésio com vedação para condições extremas da natureza. Operando até em temperaturas baixíssimas com 10 graus negativos. Outro destaque é o visor híbrido avançado aprimorado. O que permite ao fotógrafo alternar o visor óptico e eletrônico sem perda de visão do objeto. E ainda verificar a exposição da imagem enquanto clica. O desempenho do sensor e do processador também bem acima do normal. Com um algoritmo sofisticado que permite AF mesmo em condições muito escuras. Outra nova função é o HDR que combina imagens contínuas com diferentes níveis de exposição, para expandir a faixa dinâmica. A nova simulação de filme “Classic Neg” simula filme negativo colorido. Com destaque extra na definição das imagens.

Uma das coisas mais diferentes do modelo é a tela de LCD escondida. Na verdade, são duas telas nessa nova versão. Uma na parte traseira menor com informações sobre dos ajustes e na parte inversa a tela. Ficou bem diferente e engenhoso. É esse exatamente o sistema híbrido de visor que a Fujifilm criou para esse equipamento. Lembra ainda mais uma câmera de filme na inspiração e conceito.

Os destaques em recursos e especificações são:

  • A câmera pesa 445 gramas e a autonomia de cliques por carga de bateria é de 370 disparos.
  • Sensor de 26.1 megapixels (APS-C) T-Trans CMOS IV
  • ISO que vai de 160-12800 e que pode ser expandido de 100 para 51.200
  • Filma com qualidade 4K (30fps)

 No comunicado oficial a Fujifilm destacou os diferenciais da função de simulação de filme.

A função de ajuste preto e branco, originalmente introduzida na FUJIFILM X-T3 e FUJIFILM X-T30 para aplicar tons quentes e frios em imagens monocromáticas, foi atualizada como a função “cor monocromática”. A X-Pro3 agora permite escolher a cor principal da matriz de tons quentes/frios e magenta/verde, incorporando a gradação rica em suas imagens, para criar fotografias com um toque pessoal.

“Configuração de claridade” foi incluída como um parâmetro de qualidade de imagem para complementar o tom de destaque, tom de sombra e nitidez existentes. A textura e contornos do objeto podem ser acentuados ou amenizados, ao reter a gradação de cores para controlar a aparência geral da imagem.

A função de efeito granulado, que simula o filme fotográfico, evoluiu para ser possível ajustar “força” e “tamanho”, para obter um controle mais preciso da granularidade, ao invés de ter apenas duas opções de granularidade “forte” e “fraca” como em modelos anteriores.

A reprodução de gradação é notoriamente difícil para um objeto com cores altamente saturadas. O efeito “cromático colorido”, que reproduz cores mais profundas e maior definição tonal nesses objetos, está agora complementado pelo efeito “azul cromático colorido”, que aplica profundidade extra e vivacidade natural aos tons azuis da imagem.

APOIE O MELHOR CONTEÚDO!
A MISSÃO DA FHOX SEGUE A MESMA FAZ 30 ANOS. NOSSO OBJETIVO É LEVAR INFORMAÇÃO ÚTIL E DE QUALIDADE PARA AJUDAR OS LEITORES QUE ATUAM E APRECIAM A FOTOGRAFIA. A FHOX É MUITO MAIS DO QUE UMA REVISTA, TRATA-SE DE UMA PLATAFORMA INTEGRADA QUE OFERECE CONTEÚDOS EM DIFERENTES CANAIS (SITE, IMPRESSO, EVENTOS, VÍDEOS E PODCAST). UMA CENTRAL DE INTELIGÊNCIA DE MERCADO PARA FOMENTAR AS MELHORES PRÁTICAS E NEGÓCIOS DA FOTOGRAFIA. ASSINE A FHOX! E NOS AJUDE A CONTINUAR CRIANDO MELHOR INFORMAÇÃO PARA VOCÊ!