Por Daniel Chicote
Passei a infância no interior de SP e cresci tendo sonhos de viajar e fotografar o mundo. Tive a oportunidade de atravessar o Deserto de Sal da Bolívia, chorar muito com a beleza de Machu Picchu, contemplei o céu mais estrelado do mundo no Atacama, bebi cerveja direto da fonte na Alemanha, tomei o Absinto mais forte da minha vida em Praga, fugi de torcida organizada na Argentina, e pude me sentir criança com o Pateta na Disney. Profissional de Marketing & Creative Solutions, com mais de 24 anos de experiência e sou fotografo formado pela Escola Panamericana de Arte e Design. contato@danielchicote.com.br

Tudo o que você sempre quis saber sobre o “triângulo da exposição”

por Revista FHOX Publicado há 5 dias atrás | por Daniel Chicote
O triângulo de exposição é como o triangulo das bermudas, se você não souber utilizar, você fica perdido. Nossa que trocadilho péssimo! Rs. Rs. Rs. Bem, ao menos tentei !!

O chamado triangulo da exposição é a relação entre as mais importantes configurações da câmera. Eles controlam a luz quando você tira uma fotografia, são elas: 

ISO
Isso corresponde ao que muitos de vocês não conhecem, o ASA, dos filmes antigos. “Me dá um Kodak ASA 100, ASA 400” e por ai vai.

Atualmente, no mundo digital ele pode ir de 50 até 208.560 (nas câmeras Sony da série Alpha, especialmente a AS2 – âlo, @sonybrasil, me patrocina! – hahahahah) essa configuração determina a sensibilidade do sensor à luz. Ou seja com um ISO alto você pode fotografar em ambientes bem escuros sem a necessidade de um flash, mas lembre-se, quanto maior o ISO mais ruído em suas fotos.

ABERTURA
Sem enrolação, a abertura é um diafragma na lente que abre e fecha, semelhante ao que você faz com seus olhos. Quando você está em um ambiente com muita luz, a tendência é “espremer” os olhos, fechando-os procurando controlar a claridade de luz. A abertura da sua lente faz isso! São os f/stops, 1.4, 2.8, 5.6 e por ai vai, eles controlam a profundidade de campo da sua fotografia. 

VELOCIDADE DO OBTURADOR
O obturador controla por quanto tempo o sensor da câmera fica exposto à luz, quer fazer uma gota d’agua não ficar borrada? Tem que fotografar acima de 1/500 – por exemplo, quer fazer um borrão na foto de uma pessoa correndo, 1/40, e por ai vai.

Essas configurações podem ser controladas automática ou manualmente. E vamos combinar, que o melhor, para você crescer e se sentir mais confiante como fotografo é sair do modo automático

Compreender como elas funcionam em conjunto, portanto, ajudará você a fazer exposições mais criativas.  Cada configuração também influencia aspectos de como as fotos parecem diferentes da exposição.

Quando muita ou pouca luz chega ao sensor, um ou mais controles precisam ser ajustados.

ESTEJA NO CONTROLE DE SUA EXPOSIÇÃO

Fotos consideradas bem expostas são feitas quando há um equilíbrio entre as três configurações.

COLOCANDO EM PRÁTICA

Fazer malabarismo com os três controles requer um pouco de prática. Você pode ler a teoria que quiser, mas será preciso prática, para não depender de regras fixas. 

Tive a audácia de compilar umas dicas para orientá-lo nas escolhas que você precisa fazer sobre a exposição sempre que tirar uma foto. 

Quanto mais você pratica, mais fácil o processo se torna. A princípio, você terá que se concentrar em cada aspecto, mas quanto mais pratica, menos você terá que pensar em cada passo.

USE SUA CONFIGURAÇÃO ISO COMO BASE

A ISO não tem influência criativa em uma fotografia. Quando o ISO é definido, a baixa qualidade técnica é mais alta. Com configurações ISO altas, você perde qualidade (em alguns casos). 

Por esse motivo, é uma boa ideia manter seu ISO o mais baixo possível. Com sensores modernos e de alta qualidade, a perda de qualidade não é tão grande, mas ainda é evidente. Isso é uma boa base para a sua exposição e significa que você só precisa se concentrar na abertura e na velocidade do obturador.

A alteração do seu ISO precisa acontecer apenas quando houver uma alteração significativa nas condições de iluminação. 

Geralmente, tenho meu ISO definido em 400 quando fotografo com luz natural. Isso me dá alguma flexibilidade com a minha abertura e velocidade do obturador.

CONTROLE O MOVIMENTO COM A VELOCIDADE DO OBTURADOR

A velocidade do obturador afeta, talvez um dos aspectos criativos e técnicos da fotografia.

Se você usar uma velocidade do obturador muito lenta, é provável que você faça fotos borradas quando a câmera se mover durante a exposição. 

A combinação de assunto em movimento e baixa velocidade do obturador também fará com que o assunto fique desfocado. Isso é bom se a câmera não se mover enquanto você tira as fotos. Um bom tripé ajuda.

Para permitir que você use uma velocidade do obturador suficientemente rápida, você pode escolher uma abertura maior. Você também pode escolher um ISO mais alto. Na maioria das vezes, é preferível uma abertura maior, pois a qualidade da imagem não será comprometida.

A captura de desfoque de movimento em suas fotos pode ser um efeito interessante que transmite uma sensação do movimento. Para conseguir isso, você precisará usar uma configuração de abertura estreita, que permita que menos luz entre na sua câmera. Por sua vez, você poderá deixar o obturador aberto por mais tempo para uma exposição correta.

Para congelar a ação, você precisará escolher uma velocidade do obturador suficientemente rápida. A velocidade depende da velocidade em que o assunto está se movendo. Quanto mais rápido o movimento, mais rápida será a velocidade do obturador. Quanto mais rápido for o obturador, maior será a abertura para equilibrar sua exposição.

GERENCIAR A PROFUNDIDADE DE CAMPO COM SUA CONFIGURAÇÃO DE ABERTURA

A configuração de abertura é comumente usada para ter uma influência criativa na aparência das fotografias. Ao escolher uma abertura grande o suficiente, o fundo pode ficar fora de foco. Nas circunstâncias certas, o assunto principal será isolado.

Usar uma abertura maior exigirá que você use uma velocidade do obturador suficientemente rápida para compensar. Uma configuração assim possibilita que um alto volume de luz entre na lente. Uma exposição mais curta, usando uma velocidade mais rápida do obturador, resultará em uma foto bem exposta.

Na configuração de abertura maior, você pode escolher menos luz para fotografar antes de alterar seu ISO. 

As lentes prime têm aberturas máximas mais amplas do que as lentes zoom. Um prime padrão terá uma configuração de abertura mais ampla de f / 1.8 ou f / 1.4. Isso permite duas a três vezes mais luz do que a maioria das lentes do kit. Então, quando a luz está baixa, você tem mais opções.

O maior desafio de fotografar com configurações de abertura muito amplas é manter o foco nítido. Como a DOF é superficial quando você usa uma configuração de abertura grande, é vital focar no local certo. Caso contrário, suas fotos não serão nítidas onde precisam estar.

OK, MAS O QUE USAR? 

É claro que não posso te passar uma receita de bolo, porque todas as situações em que tiramos fotos são diferentes e variam de profissional para profissional.

No entanto, posso fazer algumas sugestões sobre por onde começar e como proceder para equilibrar as configurações do triângulo de exposição.

O que EUgeralmente – utilizo ao fotografar ao ar livre durante o dia:

Lembre-se antes de tudo que você não precisa seguir as minhas regras.

Deixo meu ISO entre 200 e 400, minha abertura entre f/5.6 ou f/8, e equilibro a exposição com a configuração da velocidade do obturador.

A partir de então, você precisa apenas considerar se a velocidade do obturador é rápida o suficiente para evitar aquela foto tremida, se a sua intenção seja “congelar” o assunto. Se você achar que é muito lento, pode abrir mais a abertura (para um número f-stop menor) ou escolher um ISO mais alto.

E a partir de então você pode considerar se deseja desfocar o fundo ou o assunto, se estiver em movimento.

Quando você fotografa com muita luz, às vezes pode ser um desafio obter um fundo ou um assunto borrado. Quando você tem MUITA LUZ, o ISO precisa estar baixo, e a velocidade do obturador precisa ser razoavelmente rápida. No entanto, a abertura pode não ser muito grande para obter uma boa exposição.

Em situações de pouca luz, como à noite, pode ser um desafio obter uma boa exposição e manter uma velocidade do obturador suficientemente rápida. Usar um tripé quando a luz é baixa é a melhor maneira de evitar o desfoque causado pela trepidação da câmera.

Aprenda, lembre-se e pratique.
Como tudo na vida, a questão é prática.
Lembrar-se de pensar em cada uma das configurações em relação às demais será um desafio a princípio. Ao colocá-lo em prática, constantemente, especialmente quando estiver configurando sua exposição manualmente, você aprenderá bem.

Grande Abraço e Boa luz!
Daniel Chicote
www.danielchicote.com.br/curso-foto-lr