Felipe Tazzo
Por Felipe Tazzo
Felipe Tazzo é profissional de marketing, produtor executivo consultor de carreira artística desde 2005, e ainda escritor e segundo fotógrafo de Denise Maher. 

Toda fotografia tem um preço, toda fotografia tem um valor

Chega uma hora que cansa discutir preço e qualidade com o cliente. Então deixe ele fazer isso por você

por Revista FHOX Publicado há 10 meses atrás | por Felipe Tazzo

Quem não quer ser um fotógrafo cada vez melhor? E para isso, tome festival, congresso, workshop, cursos e, claro, muuuuuuita prática. E com o tempo a gente começa a notar que “aquela” foto está cada dia mais próxima. Aí, quando você tiver “aquela” foto na capa do seu site, os clientes vão se estapear para conseguir sua atenção.

Será?

Infelizmente, a gente tem que aprender que não é um monstruoso controle de luz e sombra ou o tratamento impecável que vai fazer a carreira deslanchar. É o que nos move, mas não é o que o cliente percebe. 

Trocando em miúdos: não adianta achar que a melhor qualidade vai falar por si só o cliente vai perceber isso e milhões vão chover na nossa conta. Em geral, sinto informar, o cliente é insensível à qualidade. Apesar, de hoje em dia, com tanto Intagram e álbum no Facebook até dá para sentir que os clientes estão mais sensíveis à má qualidade.

A qualidade do nosso trabalho é uma condição necessária, porém não suficiente. Se você não está manjando do assunto, está fora do jogo. Se você manja, está no jogo. Se você está manjando muito, continua no mesmo jogo de sempre, competindo contra quem manja mais ou menos.

Então, como fazer para deixar claro para o cliente que ele está adquirindo um serviço de qualidade? Ou, como fazer para aumentar meu preço? E mais importante, como deixar claro para o cliente que por mais caro que ele me pague, está saindo baratinho?

Alguém aí falou em marketing?

Sim, com certeza. Mas antes que seus preconceitos atravessem toda sua capacidade de raciocínio, vamos fazer uma pergunta esperta aqui:

Qual marketing?

Quer mentir deslavadamente para os clientes entregar um produto merda, pegar o dinheiro deles e sair correndo? Manda ver. Eu não recomendo, mas vá lá.

A outra possibilidade é você acrescentar valor ao seu trabalho. E em acrescentando valor, o preço vai ficar pequeno em comparação.

Preço é o que o cliente paga. Valor é o que ele recebe.

E se o cliente percebe que está recebendo um produto de alto valor, vai achar que o preço está correto. Ou melhor ainda, que foi super barato.

Então, nesse aspecto, por que não manter o seu preço ou até aumentar ele um pouquinho e transmitir mais e mais com as suas fotos?

Ok, mas como eu acrescento valor ao meu trabalho fotográfico de modo que as pessoas percebam.

Ideia não falta: 

  • Currículo impressionante, com todos os seus prêmios, exposições, publicações, etc; 
  • Seu tempo dando aulas particulares ou em qualquer instituições; 
  • Todos os cursos e workshops que você fez; 
  • Todos os projetos que você realiza (mesmo que on line no seu próprio blog;
  • Toda notícia seja em qual site ou blog seja, etc, etc

Todas essas opções já demonstram ao cliente que o seu trabalho carrega algum valor técnico e financeiro. 

Porém, mais interessante do que isso, é pensar nos seus valores humanos. Seja muito claro e muito público naquilo que você acredita, na importância que a fotografia tem para você, o que você espera que o cliente perceba, qual a mudança que você está propondo para o mundo e toda e qualquer informação relevante sobre o que você e o que você sente.

 

Ou seja, fotografe com a sua alma. Mas fale sobre isso com a sua alma também. Fale com o coração aberto.

Isso é porque o “mercado” não é uma instituição fantasma. É um aglomerado de gente que pensa, sente, se relaciona, deseja e almeja. E se você tiver um discurso que mostre tudo isso sobre você, para o mercado (ou seja, para as pessoas), você fotógrafo e fotógrafa deixam de ser uma instituição fantasma. Se tornam pessoas. E pessoas se relacionam com pessoas.

E logo logo, a qualidade da fotografia não será algo que você queira empurrar goela abaixo. Qualidade será o que você vai conversar com o público ou, ainda mais legal, o que as pessoas vão conversar entre elas. Aí é se que corre o risco da coisa toda viralizar.

E isso, senhoras e senhores é que é o puro marketing.

Boas vendas.