Tem dinheiro na fotografia?

Oportunidades não faltam, mas é preciso entender as mudanças do tempo

por Revista FHOX Publicado há 2 meses atrás | por Marco Perlman

Em 1999, fotografia e digital não faziam parte da mesma frase. Muitos de nós, inclusive eu, nem sonhavam que um dia trabalhariam com fotografia. Enquanto isso, em Redwood City, na Califórnia, um grupo de visionários fundava a Shutterfly, um dos primeiros comércios eletrônicos de fotografia digital. O site cresceu (e muito), abriu seu capital na bolsa eletrônica Nasdaq e tornou-se a principal empresa de fotografia focada no consumidor no planeta…sem ter sequer saído dos Estados Unidos.

Há poucos dias a Shutterfly foi vendida. O Apollo Global Management, um dos maiores gestores de private equity do mundo, adquiriu 100% da Shutterfly, avaliando a empresa em 2,7 bilhões de dólares. Isso mesmo que você leu, mais de 10 bilhões de reais. E aproveitando o embalo, fundiu a empresa com a Snapfish, seu principal concorrente, aumentando ainda mais seu poder de fogo.

Tentando olhar além da cifra bilionária (o que não é fácil), o que mais me impressiona é que o Apollo não tinha nem um pezinho na fotografia até fazer essa aquisição. Tinha dinheiro de montão, oportunidades de sobra para investir… e nenhuma razão especial para apostar em nosso mercado. Dentre tantas opções disponíveis, escolheu a fotografia e, em particular, a impressão de fotografia para receber o cheque bilionário.

Não tenho dúvidas que a fotografia está passando por transformações aceleradas. Sei que todo mundo que tem celular (ou seja, todo mundo) virou fotógrafo. Também sei que a maior parte das fotos fica no celular, vai para a nuvem e/ou para as redes sociais. Também já fui informado que o Brasil não é os Estados Unidos. Mas, gente, são DEZ bilhões de reais.

Vamos, juntos, olhar para o futuro. Usar a tecnologia como aliada. Entender melhor o consumidor. Prestar serviços de qualidade. Vamos, juntos, criar uma fotografia melhor e mais forte. Oportunidades não faltam. Pode ter certeza que tem mais gente olhando de fora e apreciando nosso mercado.