Ir para conteúdo
Por Tiago Petroni Taveira
Tiago é consultor em constante formação, estudioso de temas como inovação e futurismo, cultura organizacional e estratégia, está plugado a ecossistemas do ambiente de saúde, financeiro e tecnologia. https://www.linkedin.com/in/tipetro/
petroni.tiago@gmail.com

Conhece-te a ti mesmo

Uma pequena reflexão sobre 2020 e a importância que o propósito ganha em nossas vidas

por Revista FHOX Publicado há 1 mês atrás | por Tiago Petroni Taveira

Conhece-te a ti mesmo.

Em 2020, aos 102 anos, meu avô faleceu e meu pai completou 70, juntamente com a Fórmula 1. Minha esposa chegou aos 40 e minha filha bateu os 7 anos, idade da razão e que questiona sobre o meu tempo no banho e por que ela tem que “…lavar o cabelo hoje…”.

Esses momentos são gatilhos que me fazem parar e pensar que passado, presente e futuro, em certa perspectiva, convivem e aproveito essa convergência para refletir sobre o ciclo da vida e, pelo menos por alguns instantes, olhar para o espelho e revisitar conceitos e atitudes que no dia a dia acabam agindo abaixo do radar da consciência.

A distinção entre passado, presente e futuro é apenas uma ilusão, ainda que persistente.” (Albert Einstein)

E parece que um portal foi aberto esse ano que ressignificou o tempo e “ofereceu”, para o bem e para o mal, um exercício de reflexão em estado de suspensão, quase que atemporal.

A sensação que tenho é que entramos em um estado permanente de consciência, do qual não podemos fugir e temos que aprender a lidar. É como se aquele monte de coisa que escondíamos “debaixo do tapete”, agora fosse jogado na nossa cara porque o tapete sumiu e temos que fazer alguma coisa com isso.

E tudo isso está doendo, porque ver a realidade sem os entorpecentes da vida moderna (suas desculpas e muletas) por um tempo prolongado, nos coloca em abstinência. Temos que lidar com angústias, encarar frustrações mal resolvidas e entender o impacto das nossas ações no mundo.

“…um choque de natureza emocional é muitas vezes necessário para que as pessoas acordem e se deem conta da maneira como estão agindo” (Carl G. Jung – O Homem e seus símbolos)

Mas é um processo importante, mesmo que forçado, para podermos colocar as coisas no lugar, porque me parece que muita coisa se embaralhou e se perdeu no caminho.

Sempre me lembro de uma frase de “Alice no país das Maravilhas” (Lewis Carrol) que diz: “quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve.” e é exatamente como sinto que as pessoas estão: perdidas, sem uma referência que mostre um caminho a seguir, já que a zona de conforto foi ou está sendo derretida.

A receita de bolo para o sucesso segundo a 1ª revolução industrial tinha como algoritmo escolher uma profissão, se formar e conseguir um emprego em uma empresa “sólida”, se esforçar em “subir” na hierarquia e ficar nela o máximo possível pois estaria garantindo o seu futuro após os 65 anos, mas a cada dia tem perdido sentido e assim, aqueles que estudaram e se prepararam para seguir esse desenho, estão sendo obrigados a se redefinirem.

Trabalhos repetitivos serão automatizados, modelos de negócios recriados, métricas redefinidas e naturalmente empregos morrerão e surgirão e nessa constante estamos nós, pessoas treinadas para criar e manter padrões.

Aí, exatamente nesse momento, uma palavrinha que até pouco tempo era coisa de gente romântica ou “abraçadora de árvores”, surge com alicerce para a transformação das pessoas. Propósito!

“Se alguém quiser esmagar e destruir uma pessoa inteiramente, para puni-la da forma mais terrível, tudo o que terá que fazer é designar-lhe um trabalho completa e totalmente desprovido de utilidade e significado.” (Fiódor M. Dostoiévski)

A liquidez da nossa época está exigindo que o propósito de cada um seja claro, pois é ele que nos servirá de direção daqui para frente. Se antes a motivação vinha de fora, agora deve vir de dentro e buscarmos a congruência entre nossos valores, propósito e atitudes, é o que vai nos definir para o mundo.
Apenas Parecer não dá mais conta do recado e Ser dá um trabalho danado para construir, leva tempo e essa coerência é a solidez que deve ser preservada, pois é o novo algoritmo para o sucesso, no mundo pós-digital. E o próprio sucesso é um conceito muito mais diverso e aberto, ligado exatamente àquilo que cada um tem como propósito, livre de rótulos.

Vejo que nada mais estará pronto para apenas nos deixarmos levar pela inércia. É preciso querer participar e construir juntos, mas sem um propósito claro e valores sólidos, qualquer caminho vai servir e a angústia talvez permaneça presente indefinidamente.

Tiago Petroni Taveira é consultor em constante formação, estudioso de temas como inovação e futurismo, cultura organizacional e estratégia, está plugado a ecossistemas do ambiente de saúde, financeiro e tecnologia. https://www.linkedin.com/in/tipetro/