CNN despede Kathy Griffin depois de fotografia com Trump decapitado

Afinal, em alguns casos, uma imagem fala mais do que mil palavras

por Revista FHOX Publicado há 2 anos atrás | por Laís Fernandes

“Nunca é divertido brincar sobre matar um presidente”, tuitou Chelsea Clinton, filha de Hillary Clinton, ex-oponente de Trump na corrida pela Presidência. Se até os críticos do presidente norte-americano se pronunciaram contra as atitudes da comediante Kathy Griffin, era de se esperar que a CNN tomasse alguma atitude.

kathyReprodução/Twitter

O que aconteceu? Nós explicamos: Kathy provocou indignação ao ser fotografada segurando uma cabeça de manequim, que representaria a de Donald Trump, coberta de sangue. A divulgação da imagem foi feita pelo artista e fotógrafo Tyler Shields e causou alvoroço nas redes sociais.

Celebridades, personalidades, o próprio Donald Trump e sua esposa, Melania, criticaram duramente a atitude da humorista, que pediu desculpas. “Eu sou uma comediante e passei dos limites. Fui longe demais. A imagem é muito perturbadora, eu entendo. Cometi muitos erros em minha carreira e continuarei cometendo. Peço perdão e vou excluir a imagem”, disse em um vídeo publicado nas redes sociais.

Não foi o bastante. A rede de televisão CNN demitiu Kathy Griffin na última quarta-feira (31). Desde 2007 ela era uma das apresentadoras da cobertura de Ano Novo da CNN. A emissora chamou a fotografia de “asquerosa e ofensiva”.

Considerando os recentes acontecimentos – como o atentado terrorista em uma das portas de saída do show da cantora pop Ariana Grande, em Manchester – a imagem, independente da briga republicanos x democratas, contrários x favoráveis ao governo e às decisões de Trump, entre outras questões, era de se esperar de Kathy um pouco de bom senso.

Considerando que o mundo luta contra ataques terroristas – vale a pena lembrar que os extremistas que se autointitulam Estado Islâmico cortaram cabeças de jornalistas norte-americanos, entre outras pessoas -, atos xenofóbicos a imigrantes, radicalizações, etc, não é simplesmente se manifestar contra o governo ou manifestar sua opinião. É pregar a violência.

Afinal, em alguns casos, uma imagem fala mais do que mil palavras.

[ATUALIZAÇÃO]

Aparentemente, várias pessoas querem comprar a polêmica imagem da comediante segurando a cabeça decapitada de Donald Trump. E muitos estão dispostos a pagar um alto preço pela imagem. Segundo o TMZ, o fotógrafo Tyler Shields já recebeu mais de mil ofertas pela fotografia, algumas no valor de mais de 100 mil dólares.

Fontes próximas ao fotógrafo contaram ao TMZ que um colecionador de arte estava disposto a dar 150 mil dólares pela imagem que levou a CNN a despedir Kathy Griffin, mas o fotógrafo rejeitou esta oferta porque quer um valor mais alto.

Tyler Shields quer ampliar a imagem e vendê-la num formato de 182 cm por 132 cm. Lembrando que apesar de Kathy Griffin ter sido a principal condenada pela fotografia, é Shields quem possui todos os direitos da imagem.