Blog do Léo
Por Leo Saldanha
É publisher da FHOX e também responsável pela Escola de Negócios FHOX leo@fhox.com.br

Canon Austrália lança serviço tipo “Airbnb de câmeras”

Locação on-line entre fotógrafos está disponível na nova plataforma Kyōyū. Mas esse é só um dos muitos acertos da fabricante naquele país

por Revista FHOX Publicado há 4 semanas atrás | por Leo Saldanha

Kyōyū quer dizer “compartilhar” em japonês. E é justamente essa a proposta da nova plataforma on-line da Canon Austrália. Kyōyū foi lançada ontem (19) naquele país. A ideia é simples e engenhosa: quem entra no site pode alugar câmeras e acessórios da marca. Algo que ocorre entre os próprios fotógrafos. A Canon funciona só como facilitadora. Ser uma espécie de Airbnb de equipamentos Canon. Funciona assim: os donos de câmeras Canon podem usar o Kyōyū para alugar suas DSLRs e mirrorless e assim faturar com um equipamento parado. Para quem loca é uma oportunidade de experimentar itens sem precisar comprar de primeira. Gostou? compra da Canon na sequência. 

 

 

Testes e Centro de Experiência – “Na Canon, acreditamos em inovar constantemente para criar a melhor experiência do usuário” disse (para a Inside Retail) Jason McLean, diretor da divisão de imagens para consumidor da Canon Austrália. E ele completou: “Não queremos que a propriedade seja a única razão para experimentar nossos produtos e serviços”. A plataforma foi criada em conjunto com a agência de design The Diner e já funciona faz mais de um ano. Para a Canon, o propósito é construir uma comunidade de clientes da marca. Gente apaixonada pela fotografia e pelos equipamentos Canon. Tudo para gerar um ciclo virtuoso que mistura branding e os fiéis Canonzeiros. 

Leia também: Movimento Imprimir 

A empresa criou dentro dessa filosofia uma outra comunidade batizada de Canon Collective. Que desde 2013 reúne interessados em workshops e atividades educacionais da marca. Boa parte desses eventos ocorrem no centro de experiência da Canon em Melbourne, espaço lançado em 2018. “Faz anos que estamos analisando nossa marca e como podemos fazer mais com os produtos que as pessoas compram. Criamos o Canon Collective e abrimos o centro de experiência por esse motivo ”, disse McLean. Ainda segundo ele, Kyōyū é uma extensão desse projeto.

Expansão – aqui cabe a parte que pode interessar a outros usuários Canon do mundo (e do Brasil). O executivo disse na matéria que o projeto pode ser levado para outros países. Desde que seja bem sucedido na Austrália.Tudo indica que esse deve ser o caso, pois o serviço conta 230 membros cadastrados das cidades de Sydney, Melbourne e Brisbane. A meta é atingir 1500 membros até o fim desse ano. Vale destacar que a Canon cobra uma pequena taxa em cada transação para cobrir o custo de gerenciar a plataforma e garantir um seguro de até US $ 15.000 para cada locação. Essa preocupação (que no Brasil seria ainda maior) também foi ressaltada pelos usuários em pesquisas da empresa antes do lançamento do serviço. “Uma das maiores preocupações que ouvimos durante nossa pesquisa inicial foi o que acontece se algo der errado, se algo acidentalmente for danificado ou roubado”, disse McLean. Nesse ponto, o centro de experiência ajudou a testar as primeiras reações e entender as necessidades do Kyōyū.

O Centro de Experiências da Canon conta com 320 m² e lá os fotógrafos podem degustar, testar e ver toda linha da Canon em ação. Com suporte e assistência de uma equipe da fabricante. A marca disse que ainda está testando esse formato do centro de experiência (por mais seis meses) na cidade australiana e que é possível abrir novos pontos em outras cidades australianas (e do mundo).

Tendência – Já a comunidade Canon Collective vai muito bem. Pois já conta com 50 mil membros em grupo fechado do Facebook. Um espaço de compartilhamento de conhecimento e troca de informações. Tudo com moderação e orientação da Canon Austrália. A ideia de venda de experiências combinada com serviços on-line, fóruns e ponto físico avança não só na fotografia. Enquanto Fujifilm e Canon colhem frutos de propostas diferenciadas que mesclam atividades práticas, conhecimento e equipamentos, outras marcas mundiais apostam também nesse formato. Caso da DJI e da Apple. A junção multicanal que envolve o ambiente on-line e físico de uma forma fascinante. Tomara que isso também chegue logo por aqui.

Você também pode ouvir essa matéria clicando aqui: http://bit.ly/CanonKyoyu

Participe da primeira turma online da Escola de Negócios FHOX 

Feira Fotografar 2019: o grande encontro da fotografia brasileira

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.