Por Marcio Prestes
Marcio Prestes é fotógrafo e trabalha junto com a esposa (e também fotógrafa) Kelly Schmidt no estúdio Kelly Schmidt Fotografia. Juntos, eles tocam um belo negócio de fotografia de casamento e família em Pelotas no Rio Grande do Sul. Palestrante da última Alasul e do FHOX On The Road Floripa, Marcio Prestes se destaca pelo trabalho diferenciado que vem fazendo. Sobretudo nas questões de ganhar mais tempo com fluxo de trabalho. Ter mais tempo para poder se fazer o que se gosta.

A Fotografia morreu! (Parafraseando Alexandre Urch)

O talentoso fotógrafo Marcio Prestes estreia seu blog no site da FHOX com provocações pertinentes sobre essa nova fase da fotografia

por Revista FHOX Publicado há 2 anos atrás | por Marcio Prestes

Por Marcio Prestes

Voltei do Fhox On the Road (Floripa) motivado e com a cabeça fervilhando a respeito dos temas abordados, foi muita coisa boa, mas a palestra do Urch me tocou, e me tocou com um tema que a muito venho devaneando, porque a fotografia parece ter morrido, perdido sua essência?

A cada dia que passa se consome mais fotografia, a tecnologia caminha a passos que não nos deixa sequer aprimorar nossos conhecimentos dos dispositivos que utilizamos, mas parece que para os profissionais existem barreiras incapazes de serem transpostas! Lembro bem do que aconteceu na transição do analógico para o digital, o choro era o mesmo, e creio que a culpa das dificuldades enfrentadas é de nós mesmos!

Creio assim como o Urch, a responsabilidade pelo renascimento da fotografia está dentro de cada um de nós, afinal a tecnologia ai está em todas as formas e a reclamação acaba por não resolver coisa alguma, pelo contrário, temos uma forte tendência a virarmos um tio esquecido na porta de um estúdio reclamando dos entrantes, dos smartphones, dos home office, da vida lá fora em qualquer esfera digital consumível (e por inúmeras vezes de maior qualidade)! É a legítima sofrência do velho, que chora sem ponderar, analisar e agir!

Uma vez rompida a barreira entre o analógico e o digital que ocorreu nos anos 2000, é notório que os que se adaptaram ficaram na peneira enquanto os chorões escoaram pelo ralo, e o barco seguiu correndo, navegando  meio sem rumo, sem saber onde isso ia dar. Pois bem, na sequência o choro passou a ser se doer por entrantes que compravam uma câmera e se diziam fotógrafos, e eles se tornaram exatamente o que diziam ser, lotando o mercado de profissionais (e bons profissionais)!

Smartphones, Instagram, Facebook, Snapchat, todos cumprem o seu papel com maestria, e fazem da fotografia a forma mais consumível de status, aparição, arte, protesto, registro etc… O mundo vê milhões de fotografia diariamente, dados comprovam que na atualidade um texto sem uma imagem fatalmente passará despercebido pela maioria! Senhores a fotografia não morreu, é hora de se ADAPTAR!

Até aqui tudo lindo, mas você quer soluções para o seu negócio certo? Ora, pensemos com coerência, creio que existe a falta do filtro profissional ao lado da nosso trabalho, estamos demorando tempo demais para perceber que nossa adaptação ao digital foi falha, usamos do artifício da fotografia infinita para melhorar nossas imagens, mas jamais pensamos no impacto que geraria ao mercado, temos um cenário atual onde fotografia boa é pré-requisito, afinal, o smartphone que mais parece uma TV de plasma e carrega a fruta mordida, faz quase tudo sozinho. A despeito disso, nós profissionais nos igualamos aos clicadores, uma vez que só porquê o digital nos permite, entregamos turbilhões de imagens, muitas excelentes é verdade pois temos o benefício da experimentação, mas tantas péssimas porquê acostumamos nossos clientes a quantidade que o digital oferece! Vamos nos concentrar em usar a versatilidade digital para fazermos imagens incríveis, e usar nosso filtro de “profissionais” para entregarmos somente o que seja relevante para nos diferenciarmos. Pensemos como analógicos em tempos de digital, creio que esse seja o novo caminho. Forte abraço.

unnamed

Marcio Prestes é fotógrafo e trabalha junto com a esposa (e também fotógrafa) Kelly Schmidt no estúdio Kelly Schmidt Fotografia. Juntos, eles tocam um belo negócio de fotografia de casamento e família em Pelotas no Rio Grande do Sul. Palestrante da última Alasul e do FHOX On The Road Floripa, Marcio Prestes se destaca pelo trabalho diferenciado que vem fazendo. Sobretudo nas questões de ganhar mais tempo com fluxo de trabalho. Ter mais tempo para poder se fazer o que se gosta.