9 lugares para você fotografar no centro de São Paulo com sua filha num sábado de manhã

SENTA QUE LÁ VEM TEXTÃO! Ou melhor, pegue um café que lá vem um post cheio de fotos e textos de um pai que levou sua filha para fotografar no centro de São Paulo pela primeira vez.

por Revista FHOX Publicado há 3 meses atrás | por Tyto Neves

SÁBADO 27/01/2018

O envolvimento de minha filha com a fotografia se deu desde o dia de seu nascimento em 2004, quando meus amigos fotógrafos “invadiram” a maternidade Santa Joana para ver a chegada da PS ao mundo.

Desde então ela respira fotografia.

Não por imposição do pai ou dos tios corujas, mas por convivência diária através de meus trabalhos e do amor e respeito que tenho pela fotografia.

Toda vez que volto para casa depois um “rolê” pelo centro de São Paulo ambos (PS e Barão) aguardam para ouvir atentamente as histórias e curtir as fotografias, afinal o centro de São Paulo é um mundo um tanto quanto diferente de nosso dia a dia.

Como pai, esperei que PS tivesse 13 anos para isso acontecer.

O mesmo acontecerá com o Barão quando ele completar 13 anos, pois acredito ser uma idade boa para compreender toda a cultura que o centro de São Paulo pode oferecer através de sua história, arquitetura e pessoas.

É uma experiência ímpar.

Embora eu fotografe pelas ruas do centro há mais de 20 anos, confesso minha apreensão antes do passeio, afinal, não existe somente amor nas ruas de São Paulo.
Meu amigo de longa data Alexandre Urch iria nos acompanhar, porém um imprevisto impediu que ele estivesse presente na grande estreia da PS fotografando as ruas do centro da tão amada e misteriosa capital paulista.

Assim, dia 27 de janeiro fomos para a primeira etapa dessa aventura.

Minha esposa nos deixou na Estação Tiradentes do Metro e partiu com o Barão para o Parque do Ibirapuera para que ele fosse andar de longboard.

1 – MOSTEIRO DE SÃO BENTO

Desembarcamos na Estação São Bento e seguimos direto para o Mosteiro de São Bento.
O lugar é incrível, só perdendo para o brilho dos olhos da PS encantada com a imponência do Mosteiro.
Caminhamos um pouco para esquerda onde contei para ela rapidamente sobre a história do Viaduto Santa Ifigênia e de sua importância para a cidade.

Saímos dali rumo a 25 de Março com a promessa de voltar outro dia para fotografar o viaduto, conhecer a Rua Santa Ifigênia e o Vale do Anhangabaú.

*Vale uma nota aqui, que somente esse percurso citado acima iria acrescentar umas 2 horas em nosso passeio.

2 – RUA 25 DE MARÇO

Ok. Confesso que adoro andar pela 25 de Março e explorar tudo que ela oferece em produtos e aventura fotográfica.
Obviamente a PS ficou um pouco apreensiva com a movimentação, mas isso passou rapidamente com a simpatia de algumas ambulantes que nos abordavam oferecendo tênis, óculos de sol, bonés e carregadores de celular.
“Ô loirinha, posso te ajudar? O que você precisa?”
– Nossa papai! Elas são legais né? Adorei esse lugar, quero voltar!
– Sim filha, e se você quiser levar algo basta experimentar em frente as barraquinhas ou nas lojas.
– Ah não papai, eu quero andar e fotografar!

Pai orgulhoso define.

Voltando ao passeio, terminamos nossa aventura na Ladeira Porto Geral e você pode ver isso no vídeo abaixo.

3 – BANESPÃO – FAROL SANTANDER

Depois da 25 de Março uma boa opção seria ir até o Mercadão (Mercado Municipal de São Paulo) mas, como nosso objetivo era fotografar os prédios, fomos para o “Banespão” – recém inaugurado (Farol Sandander) tentar a sorte de encontrar ingressos à venda para a visita.
Nota: Durante a semana os ingressos já haviam sido esgotados no site, mas tentamos mesmo assim na esperança de haver uma cota diária para pessoas que vem de outra cidade ou turistas desavisados.
Infelizmente não conseguimos então explorar as dependências internas do Farol, então esse roteiro ficou para a próxima saída fotográfica.

Andar pelas calçadas do centro de São Paulo é um misto de sentimentos.
Você se encanta com a beleza da arquitetura e das pichações, porém em vários lugares é preciso prender a respiração devido ao “perfume” da cidade.

Mas, se você quer mesmo se aventuras pelas ruas do centro e viver a fundo essa experiência é preciso sentir seu aroma.
Longe de ser uma crítica, essa é apenas uma observação real que serve de aviso aos desavisados.

4 – CATEDRAL DA SÉ

Aqui o bicho pegou!

Caminhamos tranquilamente pela Rua Direito ao lado de outras famílias, consumidores e vendedores pela Rua até chegar ao Marco Zero (Praça da Sé).
Nesse momento um cara bem alterado veio me abordar com a velha conversa:
– Ô senhor, eu não sou daqui e preciso de dinheiro para comer e voltar pra minha cidade.
Sinceramente não gosto desse tipo de abordagem, mas como estava com minha filha talvez eu parecesse um alvo fácil e mesmo eu falando que não tinha dinheiro ele começou a caminhar ao meu lado insistindo num diálogo sobre dinheiro.
– Pô senhor, mas não custa você me ajudar.
Respondi que não tinha dinheiro e continuei andando.
Ele se afastou um pouco com vários xingamentos e nós ficamos ali parados em frente ao Marco Zero por alguns minutos.
Enquanto eu tentava explicar para minha filha o sentido do Marco Zero, disfarçando minha preocupação, dois policiais passaram sem se importar com o cara que de longe começou a fazer ameaças…
Não irei prolongar o fato, mas logo depois tudo se resolveu ao caminharmos para Catedral da Sé.
Estou apenas relatando isso para que você tome cuidado em determinados lugares, pois se algo acontecer você estará sozinho por conta e risco.

Se estivesse sozinho tudo seria diferente e muito provavelmente nem seria abordado dessa forma, pois não ficaria pagando de turista, enfim.

5 – VIADUTO DO CHÁ

Pois bem, continuando nossa aventura sem nenhum inconveniente – mas olhando para trás o tempo todo, e me sentindo parte do filme A identidade Bourne, caminhamos novamente pela Rua Direita passando pela Praça do Patriarca – que além de estar em reforma é repleta de pombas.

Se você gostar de fotografar pombas esse é o lugar.
Passamos também em frente ao prédio da Prefeitura para então fotografamos a vista do Viaduto do Chá.
Nessa hora, enquanto fotografávamos havia dois comerciantes ambulantes na calçada justamente onde identifiquei que seria o eixo central da avenida.
Nos aproximamos e rapidamente eles se afastaram um pouco para que pudéssemos fotografar.
Sim, existe amor em São Paulo. ☺

FAIXA BÔNUS – SHOPPING LIGHT

Como estávamos caminhando há algum tempo, levei PS para conhecer o Shopping Light e fica aqui a dica de um bom lugar para um café, água e banheiros.
Importante dizer que o banheiro tem uma taxa de R$ 2,00 ou basta você apresentar algum cupom fiscal adquirido no Shopping.

 

6 – GALERIA 7 DE ABRIL

Se você conhece o centro de São Paulo deve estar se perguntando.
“ Ah mas o Tyto não mostrou o Teatro Municipal para filha dele!?”
Simmmm, claro que sim, afinal ele fica entre o Shopping Light e a Rua 7 de Abril, lugar onde a maioria dos fotógrafos que conheço pode contar muitas histórias sobre a que já foi considerada a Rua da Fotografia no Brasil.
Foi uma mistura de sentimentos estar ali como minha filha encantada ouvindo minhas histórias e ao mesmo tempo ver a Rua 7 de Abril com muitas lojas fechadas.
Um rápido giro pela Galeria 7 de Abril e borá lá para Galeria do Rock!

7 – GALERIA DO ROCK!

E viva o Rock and Roll
Me emocionei ao chegar a Galeria do Rock com PS.
Lembrei de seu primeiro body dos Ramones que comprei na galeria 13 anos atrás, e da primeira camiseta doo Iron Maiden do Barão.
Entre camisetas, bonés e chaveiro bateu a fominha e assim fomos para o SESC 24 de Maio para tomar um café e fotografar.
Importante dizer que na Galeria do Rock também existem boas opções se alimentar, e se estiver aberto vale subir até o jardim que fica no terraço.

8 – SESC 24 DE MAIO

Pensa num lugar para você passar uma boa parte de seu dia no centro de São Paulo?!
Pensou?
SESC 24 de Maio é o lugar.

Tranquilo, seguro, limpo, organizado, com restaurante e um café com uma vista linda do “Banespão” – Farol Santander – que ainda pode ser acrescida de um lindo espelho de água que deixa tudo muito calmo.

Vale à pena colocar em seu roteiro o SESC 24 de Maio e aproveitar tudo que ele oferece.

A essa altura os pezinhos já estavam doendo, e mesmo com o COPAM em reforma fomos até lá para que a PS pudesse fotografar e assim encerrarmos nosso pequeno “rolê” pelo centro.

9 – COPAM

Impossível ir ao centro de São Paulo para um passeio fotográfico e não colocar o Edifício do Copam em seu roteiro.

 

 

Mas não, nada disso.

Ainda era preciso seguir até o METRO – e deixei que ela escolhesse o caminho.
Caminhamos novamente de volta ao Metro São Bento com direito a uma pausa para fotografar o Farol Santander ali do Largo do Arouche.

Assim, encerramos felizes essa etapa do passeio, que depois do almoço e ainda teria em seu roteiro o IMS Paulista.

 

Se você chegou até aqui, aproveito para compartilhar algumas dicas para você fotografar no centro de São Paulo num sábado de manhã. 😉

DICAS PARA FOTOGRAFAR NO CENTRO DE SP

1. Sempre carregue algum valor no bolso da calça para que em casos de abordagem você possa dar um dinheiro e se livrar de abordagem.
2. Nunca dê as costas durante uma abordagem.
3. Mantenha distância segura.
4. Procure estar em grupo, pois assim em quanto um fotografa o outro faz a segurança.
5. Geralmente as abordagens não são agressivas, vale à pena conversar e na maioria dos casos ouvir algumas histórias.
6. A maioria das pessoas que está nessa situação não gostaria de estar ali, acredite.
7. Por outro lado, também existem os caras do mal, então fique sempre alerta.
8. Não fique muito tempo parado no mesmo lugar, afinal você não é local.
9. Os comerciantes ambulantes são gente boa demais, vale a conversa e a compra.
10. Não leve todo seu equipamento, seja objetivo em sua fotografia.
11. Um celular com uma boa câmera resolve a maioria das situações que você observar para fotografar.
12. Não use roupas e mochilas que chamem muito à atenção.
13. Vá com um calçado BEM confortável.

Boas fotos e Fotografe São Paulo!

Tyto Neves é o empreendedor que busca, através de seu trabalho, convidar as pessoas à reflexão humana. Defensor da bandeira da sustentabilidade social, é diretor da OXPHOTO – Agência de Imagens e editor da Revista PBMAG. Fotógrafo consolidado no mercado como uma referência na fotografia de famílias, é palestrante e ministra workshops e treinamentos por todo o Brasil e, mais recentemente, no Japão. Autor do Livro Retratos de Família, é filho, marido, pai, aluno e professor. Adora boa música, pratica esportes e desenvolve projetos sócio-culturais, tais como: #fotografenovaodessa, #fotografesãopaulo, #euviumfusca, #euamopretoebranco. Quando sobra tempo, gosta de escrever. Quando não sobra, gosta de falar. Fala bastante e tem um fusca. Idealizador e publisher dos concursos “Eu amo preto e branco” e “Fotografe Nova Odessa”. Para saber mais acesse: www.tytoneves.com.brwww.euamopretoebranco.com.br www.fotografenovaodessa.com.brwww.pbmag.com.br www.fotografesaopaulo.com.br