News 3 dias atrás | Leo Saldanha

Tudo sobre a nova temporada do Arte na Fotografia

Um panorama geral (com direito a entrevistas) sobre o reality show que fez sucesso em 2017 e que retorna no próximo dia 3 de agosto no canal Arte 1

por Revista FHOX
Foto: Arte na Fotografia

Arte na Fotografia pegou todo mundo de surpresa. Quem poderia esperar um reality show sobre fotógrafos com temática autoral e reunindo dois grandes mestres da fotografia brasileira como mentores? Eder Chiodetto e Claudio Feijó conduziram com maestria os 6 participantes da primeira edição que teve como ganhadora Camilla Kinker. Tudo acompanhado da elegante apresentação da atriz e cantora Thalma de Freitas em cada episódio. E em breve o trio do Arte na Fotografia retorna com um novo grupo de fotógrafos para concorrer ao prêmio. Mais do que vencer, a ideia do Arte na Fotografia sempre pareceu clara: mostrar os desafios da criatividade e de como ser fotógrafo vai muito além do clique. Antenado, o programa teve episódios com desafios com fotografia de smartphone. Ao mesmo tempo, não esqueceu da história da fotografia com temas clássicos baseados em grandes nomes da fotografia mundial. Para completar, sempre com um convidado especial. Caso de Bob Wolfenson, Juan Esteves e outras referências nacionais.

Foto: Camilla Kinker

A nova temporada de Arte na Fotografia selecionou 6 participantes entre mais de 400 inscritos de todo país. Os fotógrafos participantes são: Nicole Zabukas (21 anos – São Bernardo – SP), Fred Gustavos (31 anos – Cuiabá – MT), Nego Júnior (38 anos – São Paulo – SP), Maria Isabel (28 anos – mineira que mora no Rio de Janeiro), Leonil Junior (22 anos – Joanópolis – SP) e Maíra Erlich (31 anos – Pernambucana, mora em São Paulo). A nova temporada terá convidados renomados, provas desafiadoras e muitos surpresas (veja o release oficial do programa no fim desse post). Segundo a produção, o processo de seleção dos participantes foi criterioso. Uma das novidades é que as provas terão um aspecto mais interativo. Já que preveem a participação dos espectadores nas redes sociais. Com direito a desafios fotográficos também para quem assiste ao reality. A próxima temporada do Arte na Fotografia estreia no dia 3 agosto no canal (pago) Arte 1 às 20:30, mas sempre com reprises na internet. http://canalarte1.com.br/ e aqui: Arte na Fotografia 

A FHOX entrevistou o diretor do reality Marcio Vianna e o mentor Eder Chiodetto. Os dois expuseram suas percepções sobre a última edição e o que virá por aí. Divirta-se.

Foto: Arte na Fotografia

Marcio Vianna, diretor do Arte na Fotografia

FHOX –  Como foi dirigir a primeira temporada e o que espera para a segunda?

Marcio Vianna – Encontrar um caminho para falar de arte, demonstrar os processos criativos e ainda avaliar o trabalho dos participantes sem cair em julgamentos vazios ou injustiças. Foi realmente o maior desafio da primeira temporada. Na segunda, sabíamos por onde andar, mas tínhamos o compromisso de avançar nas provas e nas oportunidades para discutir métodos de criação. Não foi mais fácil, apesar de ser a segunda jornada.

FHOX – Quais os desafios em realizar um reality com fotografia?

Marcio Vianna – Os desafios já começam na busca por um grupo de participantes que represente uma diversidade de olhares. Depois precisamos pensar em provas que permitam que esses olhares sejam surpreendidos, se expressem e mostrem crescimento. Aí, entram as dificuldades de logística – acompanhar os participantes em suas criações, planejar tempo para a realização das provas, para a edição e impressão das imagens até as avaliações. São 6 fotógrafos criando ensaios enquanto uma equipe faz um programa de TV. Encontrar essa sintonia é um desafio para todos.

Foto: Arte na Fotografia

FHOX –  Como foi a seleção dos candidatos e o que podemos esperar deles?

Marcio Vianna – Na segunda temporada a participação do Eder Chiodetto e do Cláudio Feijó na escolha dos participantes foi muito importante. As inscrições foram todas feitas pela internet, com centenas de candidatos. A prioridade foi selecionar ensaios que demonstrassem esse potencial artístico. Muita gente boa ficou de fora, mas tínhamos que pensar num grupo forte. Só com os candidatos que ficaram de fora da segunda temporada já dá para pensar em outra tranquilamente. Nesta, podemos esperar bastante dedicação dos participantes e algumas reviravoltas no desempenho deles. Aguardem!

Foto: Camilla Kinker. A fotógrafa que venceu a primeira temporada fotografou os participantes da nova edição

FHOX –  Na primeira temporada eles usaram smartphones. Veremos coisas parecidas nesse sentido para essa edição?

Marcio Vianna – Sim! Para garantir um frescor nas escolhas feitas pelos fotógrafos, sempre programamos alguma surpresa nas provas. Eles só conhecem os locais e o pedido exato na hora de fotografar e as “pegadinhas” estarão nessa temporada também. E uma novidade desta vez: vamos oferecer exercícios de edição e até um ensaio original para a audiência realizar e publicar na internet. Queremos aumentar a interação com o público, que já foi ótima na primeira temporada.

Foto: Camilla Kinker

FHOX – Como foi a avaliação do Arte 1 sobre o programa. Gostaram?

Marcio Vianna – O canal Arte 1 é um grande parceiro da produção e, ao meu ver, o melhor espaço para discutir processos artísticos na TV. A ideia de termos um programa com esse foco veio deles e tivemos sempre o acompanhamento e as sugestões do Iano Coimbra e do diretor co canal, Caio Carvalho, um apaixonado por fotografia. A Cine Group – produtora da série – deu toda a estrutura e estamos muito felizes com a boa aceitação do programa no universo da fotografia artística.

FHOX – Arte na Fotografia foi o primeiro reality de fotografia do Brasil. Acredita que veremos mais iniciativas desse tipo na tevê ou na internet?

Marcio Vianna – O audiovisual cada vez mais oferece oportunidades para acompanharmos cotidianos, métodos e bastidores das diversas formas de criação. E o público tem buscado nesse tipo de conteúdo uma forma de ganhar referências e dicas para seu próprio crescimento profissional ou artístico. Por isso acredito que, com cuidado e planejamento, poderemos ter muitos conteúdos novos com esse aspecto formador que norteia o Arte na Fotografia.

Foto: Camilla Kinker

FHOX – Por que não eliminar os participantes por episódio como em outros programas com essa abordagem?

Marcio Vianna – Sabíamos que um fotógrafo que busca uma linguagem autoral não poderia ser avaliado por uma foto ou apenas uma prova. Por isso, fomos cuidadosos nesse critério. Para avaliar o amadurecimento da linguagem durante o período do programa, pedimos sempre ensaios de 6 imagens coerentes e, apenas depois de 7 provas, nossos mentores poderiam avaliar quem deveria seguir para as provas finais. Não se trata de melhor ou pior, mas de uma coerência na linguagem que cada um persegue. Dessa forma, diversos artistas abraçaram o formato e colaboraram com as avaliações.

Foto: Camilla Kinker

FHOX – Como foi para você pessoalmente se envolver nesse projeto de sucesso?

Marcio Vianna – Eu fico muito feliz em conviver com uma equipe de amigos talentosos, contar com a parceria de longa data do roteirista Igor Ventura, passar os duros dias de trabalho com Eder Chiodetto e Cláudio Feijó que, apesar de rígidos mentores, têm um humor fino e inesgotável, da querida da Thalma de Freitas e, claro, ver de perto um grupo de artistas em desenvolvimento, se aprimorando, apostando em suas intuições. Para mim é um período feliz de trabalho, transformador para todos nós que mergulhamos na sua realização. Ver o programa bem aceito pela audiência tão sofisticada do Arte 1 e tão exigente como são os fotógrafos brasileiros é um prêmio que vem recompensar os esforços.

FHOX – Poderia falar um pouco de você. Um breve resumo da sua carreira.

Marcio Vianna – Eu comecei como roteirista lá nos anos 1990, mas sempre me envolvi muito em todas as etapas de uma produção. Desde as reuniões de desenvolvimento dos programas, onde orçamentos e cronogramas são discutidos, até a imersão nas ilhas de edição, onde as escolhas finais são feitas. Eu me considero um apaixonado por contar histórias e adoro colaborar com a criação de novos formatos para TV. Nos últimos 10 anos, tenho trabalhado cada vez mais com realities, como “Papel de Pai” (GNT), “Socorro, Meu Filho Come Mal” (GNT), e acredito muito que é possível aproximar a audiência das experiências que valem a pena nessa vida, mantendo aprendizado, entretenimento e emoção dentro de um mesmo pacote.

Foto: Arte na Fotografia

Eder Chiodetto, curador especializado em fotografia, com mais de 70 exposições realizadas nos últimos 10 anos no Brasil e no exterior. Um profissional respeitado e reconhecido da fotografia brasileira.

FHOX – A primeira temporada foi um sucesso. O que esperam para a segunda edição?

Eder Chiodetto – Para a segunda temporada, pensamos em novas provas e exercícios que não havia na primeira. Percebemos na primeira temporada que um dos problemas maiores dos fotógrafos era o de conseguir manter uma consistência na edição dos ensaios. Por isso, agora propusemos dois exercícios de edição que têm como foco ajustar isso. Também agora tivemos mais tempo para refletir com os fotógrafos sobre o resultado de cada um deles a cada prova e os mentores ficaram mais próximos durante a execução de algumas tarefas.

Foto: Camilla Kinker

FHOX – Qual o grande desafio de julgar em uma competição desse tipo?

Eder Chiodetto –  Quando falamos de uma linguagem artística, não há certo e errado. Estamos no território da subjetividade, por isso, não nos cabe julgar a intenção do outro, mas, sim, de entender o que ele deseja representar via fotografia e, então, checar se ele está conseguindo criar um discurso imagético coerente. Entre desejo de representar algo e a imagem há sempre uma distorção inerente à linguagem. O papel dos mentores, portanto, é menos o de julgar e mais o de auxiliar os fotógrafos para diminuir esse fosso entre discurso e representação.

FHOX –  É muito interessante ver as fotos impressas no julgamento de cada prova. Essa decisão foi tomada em conjunto? por que as fotos impressas são importantes nesse processo?

Eder Chiodetto – Dizemos sempre que as seis fotos selecionadas pelo autor devem compor uma “frase”. Nesta temporada, reforçamos que a sequência é como ajustar as palavras dessa frase. Por isso, é fundamental trabalhar com as imagens impressas, pois assim podemos testar outras combinações na sequência. É como um jogo e tarô, em que a ordem de aparição das cartas criam uma leitura completamente nova.

Foto: Camilla Kinker

FHOX –  Vocês levaram os dispositivos móveis e criaram desafios de alto nível. Quais surpresas podemos esperar para essa temporada.
Eder Chiodetto – Nesta temporada, os telespectadores também serão convidados a participar de alguns exercícios e provas. Aguardem!

FHOX – A participação de grandes nomes da fotografia foi importante? como eles participarão nessa nova edição?

Eder Chiodetto – A cada episódio, temos um convidado especialista nas questões que estamos abordando. É muito importante a participação deles para que a dupla de mentores não caia em vícios de mérito. Como eu e o Claudio convivemos intensamente com os participantes, é salutar ter um olhar que vem de fora para apontar aquilo que a convivência pode tirar do nosso foco crítico.

Foto: Camilla Kinker

FHOX – Como vocês avaliam a reação de quem assistiu? Acompanharam a repercussão nas redes sociais?
Eder Chiodetto – Sempre tive medo de fazer TV, pois acredito que nesse formato tudo tende a ficar superficial. No início, eu temia muito por isso e, por conta disso, eu e o Claudio criamos juntos alguns dispositivos para preservar uma parcela maior de reflexão e menos de competição. Foi assim que decidimos junto com a produção de que não haveria eliminação a cada episódio, mas sim uma discussão mais aprofundada sobre o que é construir um ensaio fotográfico. E foi esse um dos itens mais destacados positivamente pela audiência que detectei nas redes sociais.

FHOX – Acredita que gerou interesse fora do mercado e da fotografia autoral? Digo, entusiastas e afins?

Eder Chiodetto – Podemos dizer que no mundo atual a grande maioria da população produz, expõe e consome diariamente fotografias. A imagem fotográfica virou um meio de expressão tão importante quanto o texto. Por isso, o caminho da alfabetização visual, que esse nosso programa também tem como um dos seus objetivos é tão importante. O programa tem sido visto e discutido por muitas pessoas que não são profissionais da fotografia ou artistas que se utilizam desse meio, mas por qualquer pessoa que goste de fotografar seu dia a dia e postar nas redes. Ele ajuda a criar uma consciência imagética.

Foto: Camilla Kinker

FHOX – Como é trabalhar junto como uma dupla nesse programa?

Eder Chiodetto – O Claudio Feijó está na raiz da minha formação como fotógrafo e como educador. Há uns 28 anos eu fui estudar na Imagem e Ação, escola fundada pelo Claudio e responsável pela formação de muitos fotógrafos em São Paulo. Ele já era uma espécie de guru dessa turma que passava por lá. Ele sempre teve esse olhar para dentro da gente de forma muito humanizada e provocativa. Reencontrá-lo agora para estabelecer essa parceria é de uma beleza infinda. Temos visões bem distintas sobre o fotográfico e chegamos a discordar bastante até quando observamos os trabalhos dos fotógrafos. Mas isso é bom para mostrar para todos uma pluralidade de interpretações possíveis. O telespectador, dessa forma, mais do que pender para um lado ou pelo outro, aos poucos começa a perceber que ele mesmo deve ter seu ponto de vista, independentemente do que nós falamos no calor da prova.

Foto: Camilla Kinker

Release oficial da nova temporada do Arte na Fotografia!

Na busca por um novo talento da fotografia artística, a segunda temporada do ARTE NA FOTOGRAFIA vai aumentar a participação da audiência, propondo exercícios de edição e até um ensaio especial a ser publicado nas redes sociais. Com ainda mais informações e dicas sobre métodos de trabalho, o reality segue em busca da construção de um portfólio autoral. E vai avaliar o amadurecimento dos competidores, que desenvolvem sua linguagem artística em desafios onde devem apresentar um ensaio original, com 6 imagens cada.

Claudio Feijó e Eder Chiodetto seguem como mentores dos participantes e, a cada episódio, um especialista vai ajudar a definir os destaques positivos e negativos dentro da competição.  Thalma de Freitas continua como apresentadora. Provas em uma ocupação no centro da cidade de São Paulo, pautas clássicas como a arte do circo e surpresas que vão até um cemitério repleto de arte tumular e arquitetura, convidarão os participantes – e a audiência – a pensarem com olhar artístico temas relevantes da atualidade. E que vença o melhor!

Foto: Camilla Kinker

Novidades em relação à temporada anterior:

> Os candidatos passaram por um processo de seleção conduzido pela direção artística do Arte1; direção e produção do programa; e os mentores do programa – os fotógrafos Claudio Feijó e Eder Chiodetto.

> Foram avaliados os portfólios fotográficos de cada candidato inscrito, considerando quesitos técnicos e artísticos.

> O programa também vai sugerir exercícios e métodos de edição fotográfica pra a audiência testar em casa.

> No decorrer dos episódios, será lançado um desafio aos participantes que também será sugerido à audiência, pra que o façam e publiquem nas redes sociais.

Foto: Camilla Kinker

– SINOPSES POR EPISÓDIO  

Episódio 01: Uma Nova Temporada

O novo grupo de participantes conhecerá os mentores Claudio Feijó e Eder Chiodetto e deverão criar seus primeiros ensaios sobre o tema: transformação. A competição está apenas começando.

Fotógrafo convidado: Thales Trigo

Episódio 02: Morada da Arte

Os fotógrafos irão registrar a vida em uma ocupação artística, no centro de São Paulo. Eles enfrentam uma limitação das imagens que poderão registrar e ainda terão uma surpresa na edição do material.

Fotógrafo convidado: Walter Costa

Foto: Camilla Kinker

Episódio 03: Olhar Infantil

Pauta clássica para os competidores: fotografarem os bastidores e o espetáculo circense. Mas nossos mentores querem que cada um se transporte no tempo e realize seus ensaio com olhar de criança.

Fotógrafo convidado: Adi Leite

Episódio 04: Descartados

O quarto desafio do grupo será o de criar um conceito e, em seguida, um ensaio fotográfico a partir de materiais descartados em um ferro-velho. A partir do “nada”, terão que apresentar suas imagens.

Fotógrafo candidato: Julia Kater

Foto: Camilla Kinker

Episódio 05: Desafio Concreto

Fotografia de arquitetura é o foco do quinto desafio para os participantes. Mas a escolha de uma locação bastante incomum é a surpresa: o cemitério da Consolação, repleto de belíssima arte tumular.

Fotógrafo convidado: Tuca Reinés

Foto: Camilla Kinker

Episódio 06: Um Salto de Qualidade

A competição avança e os fotógrafos serão desafiados em uma visita à Sociedade Hípica Paulista, com diversas opções para criarem seus ensaios: preparação dos animais, adestramento, saltos e terapia.

Fotógrafo convidado: André Penteado

Foto: Camilla Kinker

Episódio 07: Um Lugar ao Céu

O desafio que eliminará 3 participantes é uma surpresa, para os competidores e para audiência: 7 pecados capitais – com um para cada participante – diante da Catedral da Sé, no coração de São Paulo.

Fotógrafo convidado: Élcio Ohunma

Episódio 08: A Grande Final

Os 3 finalistas vão criar um ensaios que apresentem o futuro. Um desafio estimulante, onde apenas dois deles avançarão para a exposição final que vai determinar o grande vencedor da temporada.

Fotógrafo convidado: Guilherme Maranhão

A próxima temporada do Arte na Fotografia estreia no dia 3 agosto no canal (pago) Arte 1 às 20:30, mas sempre com reprises na internet. http://canalarte1.com.br/ e aqui: Arte na Fotografia 

>> Arte na Fotografia: uma conversa com a vencedora da primeira edição do programa