Exposições 3 anos atrás | Redação

Ponte para o Passado

Exposição de Marcio RM traz a Festa do Divino em Alcântara

por Revista FHOX

Marcio RM irá realizar sua sexagésima primeira exposição individual, de nome Ponte para o Passado, que vai acontecer na Galeria de Arte da Cândido Mendes, Rio de Janeiro (RJ), no período de 30 de maio a 23 de junho de 2017.

Exposição-Ponte-para-o-Passado-foto-de-Marcio-RM-17-coMarcio RM

Esta será a sua décima sétima individual na cidade do Rio de Janeiro em que apresenta 24 fotos em cores da Festa do Divino, em Alcântara (MA). A festa foi criada no início do século 16 em Portugal e introduzida no Brasil pelos colonizadores no mesmo século, sendo levada também para o Maranhão. É realizada no Dia de Pentecostes (50 dias após a Páscoa), homenageando a terceira pessoa da Santíssima Trindade.

Alcântara é o cenário de uma das maiores festas do Divino Espírito Santo do Maranhão, tendo um ciclo que dura o ano inteiro, iniciando-se no Domingo de Pentecostes, quando ocorre o ritual da leitura do Pelouro e terminando no Domingo de Pentecostes do outro ano no mesmo ritual de leitura do Pelouro da festa seguinte.

Exposição-Ponte-para-o-Passado-foto-de-Marcio-RM-2-cMarcio RM

Relatos históricos dão conta de que moradores de Alcântara esperaram a visita de Dom Pedro II em meados do século 19, chegando a levantar as paredes de dois casarões para hospedar o visitante e sua comitiva. As ruínas dos casarões existem até hoje em dia, apesar dos nobres nunca terem pisado no local.

A comunidade tenta reproduzir nas ruas o que não está registrado em nenhum livro de história: a visita do imperador à cidade que tem seu sobrenome (Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga).

Exposição-Ponte-para-o-Passado-foto-de-Marcio-RM-8Marcio RM

Os festejos giram em torno de um grupo de jovens e do império que acompanham o imperador (ano ímpar) ou a imperatriz (ano par) com roupas de época, combinando a cor de acordo com o dia da festa. Nos primeiros dias, a cor é branca; no domingo do meio pode ser verde ou azul, por exemplo, e no último domingo, Dia de Pentecostes, a cor é o vermelho. O império e as caixeiras se vestem com a cor própria do dia.

A riqueza dos seus figurinos diferencia esta celebração de outras comemorações em louvor ao Divino Espírito Santo pelo País. Além das caixeiras, senhoras cantam e tocam seus tambores e são a alma da festa.

Um dos significados da palavra Alcântara é ponte, sendo que as imagens deste ensaio apresentam o passado, a história, do povo brasileiro.

Exposição-Ponte-para-o-Passado-foto-de-Marcio-RM-18-cMarcio RM

Serviço

O que
Ponte para o Passado
Quanto
Visitação gratuita
Onde

Centro Cultural Cândido Mendes
Rua da Assembléia, 10

Quando

Inauguração: 30 de maio de 2017 às 19 h
De segunda a sexta-feira das 12 às 19 h
Período da exposição: de 30 de maio a 23 de junho de 2017

Outras infos

Tel.: (21) 2531-2000

As informações acima são de responsabilidade do estabelecimento e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.