Conheça o ImageCon - Conferência do Imaginário

“Não-dito” expõe crise de representatividade na política

A fotógrafa pernambucana Ana Lira registrou uma série de fotos que falam de manifestações políticas de diferentes formas. Pichações, cartazes, pinturas, santinhos e outros itens que servem para expressar a inconformidade com a situação atual. As imagens serão expostas na Casa da Cultura da América Latina da Universidade de Brasília (CAL/UnB), até o dia 4 de abril.

[media-credit name=”Fonte: Divulgação” align=”aligncenter” width=”790″][/media-credit]

Não-Dito resulta de um processo de pesquisa do projeto Voto!, no qual a artista explorou a atual crise de representação política brasileira, mapeando discursos criados por rasgos, escritos e colagens que foram deixados para trás pela população e transformados pela ação do tempo. O resultado foi materializado em 16 peças de acrílico, seis impressos em formato de santinhos eleitorais, sete cartazes, uma lona e um projeto audiovisual, além de materiais coletados nas ruas como panfletos, cartas-abertas, adesivos e cartilhas.

Fonte: Divulgação

O conjunto discute as relações de envolvimento e transparência nos processos de representação e o desgaste dos formatos de atuação política. Assim, busca incentivar uma cultura de participação coletiva. Paralelamente à mostra, um grupo de estudos semanal, aberto ao público, vai debater os conteúdos que nortearam a pesquisa artística e propor relações com o cenário local.

[media-credit name=”Fonte: Divulgação” align=”aligncenter” width=”675″][/media-credit]

Para o jornal Correio Braziliense, Ana Lira falou: “Eu tive experiências das mais diversas. As pessoas depositam a raiva nos cartazes de campanha eleitoral. Elas escrevem nos cartazes coisas que elas gostariam de dizer aos políticos. Muitas rasgam os rostos. São rasgos de muita violência. E aí você vai desenvolvendo um processo de leitura crítica de imagem para também entender a diferença entre um cartaz que tem só uma brincadeira e um que efetivamente recebe uma intervenção em que se vê uma forte resposta política”.

Ana Lira trabalha no projeto à seis anos. Em 2015, a exposição Não-Dito recebeu o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea. O projeto já foi exibido em todas as regiões do país,Brasília é a última cidade do circuito.

Thalita Monte Santo
É jornalista e integra a redação da Revista FHOX. Escreva para: thalita@fhox.com.br