Apoie a FHOX Impressa e garanta recompensas incríveis!


Fotógrafo Renato Negrão lança livro em SP

Escritor, jornalista e fotógrafo Renato Negrão autografa o livro “Brasil DisTrópico”, uma road trip através de um país que é o avesso de uma sociedade amistosa

O livro de contos Brasil DisTrópico, do fotógrafo e jornalista Renato Negrão, 51 anos, é resultado de um prêmio Proac conquistado em 2020. A linha narrativa que une as quatro histórias é a vida de personagens, cada um com suas peculiaridades, que sofrem diretamente pelo que se transformou o Brasil da era Bolsonaro. O escritor procura levar o leitor, de forma detalhada e minuciosa, a vivenciar os dramas daqueles que foram  excluídos do Brasil comandado pelo Gabinete do Ódio, que encoraja e escancara discursos intolerantes.

Os personagens são um professor universitário que perde o emprego assim que o presidente assume; um gay que é banido da família e, na visão do pai fascista, se torna um inimigo da família, somente pelo fato de ser gay e poder influenciar os sobrinhos a seguir a mesma orientação sexual; um artista, que se vê comparado a um comunista, pelo simples fato de trabalhar com arte e cultura e, para fechar o livro, o autor faz um exercício de imaginação e leva o leitor ao ano de 2050, especulando sobre como as decisões tomadas nesta era de extremismo podem afetar o futuro.

O fotógrafo e jornalista Renato Negrão

O livro também é uma espécie de “road trip”. Nas quatro histórias, os personagens estão na estrada, e um deles precisa fazer uma viagem de carro de 3 mil quilômetros pelo Brasil. Como o próprio nome do livro sugere, essas viagens ocorrem por um país que é o avesso de uma sociedade amistosa, é o trópico às avessas, é o país contrário ao utópico. É o país onde um canarinho amarelo – outrora símbolo de um Brasil promissor – está se equilibrando no vidro de um ônibus abandonado, como pode ser visto na capa do livro. Um livro triste, porém urgente e necessário para entender a realidade pelo ponto de vista dos que não foram convidados para a festa. Talvez uma obra que possa registrar, pela sensibilidade de um escritor atento a seu tempo, o que anda acontecendo no Brasil neste início do século XXI.

O livro foi publicado pela editora Humana Letras e será lançado de forma presencial no dia 25 de novembro de 2021, às 19h, na Livraria Cultura da Avenida Paulista, em São Paulo. Seguindo os protocolos sanitários, os participantes deverão usar máscaras de proteção e não poderão tirá-las durante a permanência no evento, por esse motivo não será servido coquetel.

“A ideia de escrever esse livro surgiu em 2019, durante uma viagem ao Qatar.  Lá, eu senti que queria criar um livro cuja narrativa contasse a ascensão do regime totalitário no Brasil, assim como a intolerância com as minorias, com a arte, com a educação e com a cultura. Surgiu em uma manhã, enquanto eu tomava meu café no hotel, depois de receber uma mensagem de um amigo da universidade que não vejo há mais de 20 anos. O relato dele me inspirou”, conta Renato Negrão.

“Pandemia, discriminação, misoginia, homofobia, desesperança, solidão, exclusão familiar e memórias são alguns dos temas relatados no livro”, acrescenta o autor.

Sobre o autor:

Renato Negrão é mestre em Comunicação e Semiótica, atuou como professor em diversas universidades de São Paulo. Especialista em fotografia pelo Senac e graduado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), seu histórico de 20 anos na fotografia o levou a passar pela atuação como fotógrafo comercial; professor, pesquisador especialista em fotografia e curador.

Serviço:

Lançamento livro Brasil DisTrópico, de Renato Negrão

Data: 25 de novembro de 2021, às 19h

Local: Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Avenida Paulista,2073)

Tiragem: 1.000 exemplares 

Número de páginas: 120 

Editora: Humana Letras

Ano de lançamento: 2021 

Capa: Bernardo Borges

Foto da Capa: Renato Negrão