Fotografar 6 meses atrás | Redação

Tibério Hélio: Reinventar-se para crescer

Fotógrafo fala sobre sua experiência e evolução nos negócios e na fotografia

por Revista FHOX

Tibério Hélio estará presente no Congresso Fotografar 2019 com a palestra “TER IDÉIAS, TRANSFORMA SEU NEGÓCIO EM SUCESSO!”. Sua apresentação será no dia 02 de abril as 09h50. Confira a entrevista que Tibério concedeu a Fhox para a edição 198 da revista.

Atuando há 27 anos no mercado, Tibério Hélio é um dos fotógrafos mais engajados e requisitados do Piauí. Palestrante do Congresso Fotografar, que acontece nos dias 2, 3 e 4 de abril, no Centro de Convenções Frei Caneca, além de visionário é também um empreendedor da imagem e inseriu técnicas e tendências inovadoras para o mercado piauiense.

Tibério HélioTibério Hélio

 

Mas ao contrário do que muitos imaginam, Tibério não começou sua carreira na fotografia. Sua primeira experiência foi com o vídeo. Aos 12 anos de idade ganhou uma filmadora da mãe e fez do presente uma ferramenta de trabalho. Com o passar do tempo, percebeu que precisava oferecer mais aos seus clientes e passou a criar fotolembranças exclusivas que pudessem agregar mais
valor aos seus serviços.

“Por volta do ano 2000, eu, com essa via empreendedora, resolvi criar novos produtos e serviços para poder vender mais. Foi aí que criamos a fotolembrança. Eram as fotos instantâneas tiradas com máquinas cybershots, aquelas mais amadoras, mas reveladas na hora e entregue como a lembrança da festa”, diz.

Esse plus começou a chamar atenção. Como Tibério só atuava com as filmagens, trabalhava com um fotógrafo parceiro. Porém, não demorou muito para que outros fotógrafos e videomakers fizessem o mesmo.

Tibério HélioTibério Hélio

 

Tornando-se fotógrafo

“E aí foi que eu tive que correr um pouco mais para sair do convencional. Comecei a utilizar as impressoras térmicas que imprimem em papel fotográfico e passei a usar essas câmeras de entrada, que na época era uma Nikon D40. Mas meu cliente passou a ver mais qualidade nas minhas fotos do que nas que o meu parceiro estava entregando”, relata.

O olhar que Tibério tinha sobre as cenas, por conta da sua experiência com o vídeo, fazia com que ele se destacasse. “Eu tive que tomar uma decisão: me tornar fotógrafo ou não. Foi por volta de 2003 que eu entrei realmente na fotografia, de cabeça.

E toda a expertise e o meu olhar de videomaker, coloquei na fotografia para poder me destacar no mercado”. Com isso, a procura pelo seu trabalho aumentou. “Eu passei a dar um conforto melhor para o meu cliente, porque ele já fechava comigo foto, filmagem e fotolembrança. Ou seja, era mais cômodo para ele fechar tudo com uma empresa só”, diz.

Tibério HélioTibério Hélio

Leia também: PROJETO “REGISTROS DE AMOR” DE TIBÉRIO HÉLIO É DESTAQUE NA GLOBO PI

Para ele, o segredo do sucesso na fotografia é saber se adaptar, circular por todos os campos, sempre buscando se atualizar. Ele, por exemplo, já não se classifica mais apenas como um fotógrafo de casamentos, mas sim como um fotógrafo de família.

“Toda área da fotografia dá dinheiro. O que os fotógrafos ficam, muitas vezes, é brigando por prata, tendo uma mina de ouro ao lado deles. Eu fiz um laboratório ano passado, por onde andei por todas as áreas da fotografia. E para você ter uma ideia, ano passado eu ganhei mais dinheiro com colação de grau do ABC do que com fotografia de casamento no mês de dezembro”, conta.

Tibério aconselha e afirma que todo dia é possível criar um produto novo com fotografia, pois todo mundo precisa, ao menos uma vez, de um serviço fotográfico. “Todas as profissões precisam de um bom fotógrafo. E onde esses profissionais estão ? Reclamando da crise, reclamando que as coisas estão difíceis e não abrem os olhos para um mercado gigante que os espera de braços abertos”.

Tibério HélioTibério Hélio

 

Questionado sobre como se enxerga como empreendedor, ele afirma que busca sempre dar o melhor de si em cada trabalho e acredita que o motor do negócio é a venda.

“E o que eu vejo no mercado fotográfico, a título de Brasil, é que os fotógrafos não entendem de vendas. Eles não sabem vender o seu produto. Eles não sabem se vender. Eu sempre procuro dar o melhor de mim para cada trabalho. Não ser melhor do que ninguém, mas ser melhor do que a minha pessoa. E assim, eu sigo nessa linha, independente do cliente. Eu penso dessa forma, sempre o meu melhor trabalho é o último”, finaliza.