Fotografar 2 meses atrás | Thalita Monte Santo

Deborah Ghelman abre o Congresso Fotografar e fala sobre fotografia de parto

A fotógrafa falou sobre sua carreira e processo de trabalho, para um auditório cheio, no primeiro dia de Congresso Fotografar 2019

por Revista FHOX

Abrindo o Congresso Fotografar 2019, nesta terça-feira (2), a fotógrafa Deborah Ghelman, de Recife (PE), falou sobre fotografia de parto ser cabeça e coração. Apresentando seu trabalho, Deborah, inclusive, arrancou lágrimas dos participantes.

Fellipe Sales
Em parte da sua apresentação, ela disse que “fotografia de parto também é um estilo de vida”.

Deborah descobriu a fotografia ainda na faculdade, quando cursava jornalismo. Até então, nunca havia tido contato com a profissão. Depois do encontro, passou a registrar de tudo: eventos, festas, casamentos, shows e pessoas. Mas foi só em 2014, quando engravidou, que Deborah se aproximou dos registros de família e passou a se integrar no segmento.

Para ela, fotografar partos normais exige já um certo nível de experiência. É preciso já chegar com uma certa bagagem, pois o imprevisível pode sempre acontecer. Diferente da fotografia newborn, onde tudo é planejado. Para ilustrar seu ponto, Deborah contou um caso no qual fotografou um parto de um bebe prematuro, de 7 meses. Tudo teve que ser feito às pressas, mas ainda assim o resultado final foi fantástico.

Fellipe Sales

A fotógrafa ainda aconselhou os participantes do Congresso que se, por acaso, quiserem se aventurar nas fotografias de parto, que “estudem as técnicas, se envolvam com as famílias e se emocionem, pois fotografia de parto trata-se do nascimento, de uma nova vida, não é um trabalho simples”.