Fotografar 5 meses atrás | Redação

Cacá Rodrigues: Casamentos, um bom negócio

Cacá Rodrigues fala sobre como crescer no mercado de fotografia de casamento

por Revista FHOX

Cacá Rodrigues estará presente no Congresso Fotografar 2019 com a palestra “Por onde começar a mudança?”. Sua apresentação será no dia 02 de abril as 14h50. Confira a entrevista que Cacá concedeu a Fhox para a edição 198 da revista.

Texto: Flávio Augusto Priori | Imagens: Cacá Rodrigues

Cacá Rodrigues
Cacá Rodrigues

Quando começou sua carreira como fotógrafo, há mais de uma década, Cacá Rodrigues tomou uma decisão que mudaria sua vida de forma única: empreender. Palestrante confirmado do Congresso Fotografar 2019, que acontece de 2 a 4 de abril, no Espaço Frei Caneca, em São Paulo, Rodrigues tem um vasto histórico de trabalhos na fotografia de casamentos.

Sua carreira começou enquanto ainda estudava em Santo André, após receber um convite de seus professores Maurício Vieira e Dejair Gonçalves para ajudar em um casamento. Essa primeira experiência chamou a atenção e despertou a curiosidade do fotógrafo para o segmento.

Inicialmente, ele começou fotografando casamentos como freelancer. Dois anos depois, em 2008, abriu sua própria empresa, a Cacá Rodrigues Fotografia. Liderando o próprio negócio, atua até hoje dividindo seu tempo como fotógrafo e empresário. Sempre trabalhando no segmento de casamentos.

Para Rodrigues, todos os tipos de fotografia são importantes. Entretanto, existe uma aura única nos álbuns de casamento.

Cacá Rodrigues

“O álbum de casamento em si é algo mais especial, devido ao sonho do matrimônio e a cultura familiar. Em muitos casos o casamento é um sonho, uma fase esperada por muitos, pois toda a família pensa um dia em ver seus filhos casando. Isso acaba trazendo uma importância maior ao álbum”, diz o fotógrafo, que também enfatiza o quão é importante estar dentro
da cultura das pessoas que serão fotografadas para capturar os melhores momentos.

Business e evolução

Sobre negócios, Rodrigues é bem pontual e ressalta a importância do fotógrafo compreender também esse lado. “O fotógrafo de casamentos, de um tempo pra cá, tem sido um profissional rotativo. Ou seja, a pessoa entra no mercado, permanece por cinco ou seis anos e depois sai.” Rodrigues continua: “Isso acontece porque ele não evoluiu como empresário do ramo de fotografia, não pensou na sua empresa como um grande negócio e se deixou levar apenas pelo amor à fotografia. Com isso acaba se decepcionando com o mercado que o tirou em tão pouco tempo de atuação.”

Enfático sobre o lado empreendedor, ele aconselha quem está começando fotografar a pensar no modelo de negócios e saber o valor de seu trabalho. Segundo ele, o erro de muitos iniciantes é calcular o preço de seu trabalho de acordo com o vizinho, o que é muito ruim. Sem contar que é preciso ter em mente todo o processo antes de divulgar sua marca no mercado.

Cacá Rodrigues

Mas, evidente que só ser um bom empreendedor não é o bastante. Além disso, ele observa que algumas pessoas, após entrarem no mercado, ficam estagnadas e acabam parando no tempo, o que é prejudicial. Um bom profissional não pode se fechar somente em seu círculo de atuação.

“Uma coisa que tem me deixado muito triste, e tenho visto isso ao longo dos meus anos de fotógrafo, de professor e palestrante, é que as pessoas, na sua maioria, entram no mercado da fotografia pela “paixão” de fotografar, mas depois de começar não fotografam mais fora do trabalho, apenas em casamentos e ensaios”. Rodrigues lembra que é importante o fotógrafo ter seus projetos pessoais em paralelo, como forma de aprimorar sua técnica fora de sua zona de conforto.

Cacá Rodrigues

Em sua palestra no Congresso Fotografar 2019, intitulada “Por onde começar a mudança?” no dia 2 de abril, o assunto deverá girar em torno da parte empreendedora da fotografia.

“Desde sempre eu acompanho a Fotografar, sempre estive presente em todas elas, e as expectativas são as melhores possíveis. Apresentarei algo que será de extrema importância para quem está iniciando no mercado, ou para aqueles que já estão nele e querem mudar de patamar. Vamos levar um conteúdo que deverá ser usado pelos fotógrafos por muitos anos. Estou super feliz. Nos vemos na Fotografar 2019!” Finaliza