Exposições 2 meses atrás | Redação

Vânia Toledo exibe trabalho inédito e vintage na Galeria Mapa

“Corpo Livre”, ensaio guardado há 23 anos, apresenta o ponto de vista da fotógrafa em relação ao corpo masculino

por Revista FHOX

Vânia Toledo, fotógrafa mineira radicada em São Paulo, exibe “Corpo Livre”, na Galeria MaPa As 13 fotografias analógicas expostas – em ampliações únicas, a partir de negativos datados de 1996 – representam a realização de um projeto que aguarda 23 anos para ser exibido, e apresenta o olhar da fotógrafa em relação ao corpo masculino. O trabalho perfaz uma crítica contra a censura e o período de repressão pelo qual atravessamos no Brasil, reafirmando o direito à liberdade do corpo.

Em 1996, um amigo publicitário de Vânia Toledo a convidou para fotografar uma campanha de lançamento de um perfume para homens. “Fiquei fascinada com a ideia e pensei num olhar amoroso sobre o corpo do homem. Então, esse ensaio eu apelidei de ‘Entre Lençóis’: a mulher com o homem amado, na cama ou fora dela, o fotografando através de diversos ângulos. Me inspirei em uma frase famosa de Marilyn Monroe que dizia ‘Apenas duas gotinhas de Chanel nº 5’, ao descrever o que vestia para dormir”, comenta a fotógrafa.

Vânia Toledo

Na ocasião, alugou um quarto de hotel, convidou alguns bailarinos para posarem como modelos e, em dois dias, finalizou o trabalho com cerca de 20 filmes utilizados. Ampliou 20 imagens e as mostrou ao colega que a havia chamado para a campanha, cuja reação foi de encanto. Porém, a artista viu, pela primeira vez, seu trabalho ser rejeitado pela empresa contratante, que julgou as imagens muito “ousadas”.

Corpo Livre” exibe, pela primeira vez, este ensaio realizado por Vânia Toledo em 1996. Imagens que, para determinados fins, foram consideradas “impróprias”, mas que 23 anos depois, representam para a artista uma forma de protesto contra a onda de repressão que vivemos no Brasil, e contra quem a censurou à época. Em seus dizeres: “Não existe censura no corpo, o corpo é livre. As pessoas esquecem que a nudez masculina para quem admira a arte é a coisa mais natural – não chega a ser banal, é normal. E eu clamo por liberdade física, psicológica, artística e tudo mais. Somos livres, não precisamos das roupas – amarras, censuras”.

Ao mudar o título do ensaio de “Entre Lençóis” para “Corpo Livre”, o tom do trabalho deixa um pouco de lado o romantismo e assume um viés de resistência contra a censura e a repressão. Sempre com um olhar “amoroso”, como define Vânia Toledo, suas fotografias contrariam o óbvio e destacam o corpo do homem nos aspectos mais estruturais. Em suas palavras: “Penso muito no Ansel Adams como referência, aquelas montanhas – como os volumes que o corpo do homem tem. Mulher tem curvas, homem tem volumes. Minha visão é muito clara e moderna sobre tudo, não tenho censura”.

Exposição: Corpo Livre

  • Artista: Vânia Toledo
  • Abertura: 16 de maio, quinta-feira, às 18h
  • Período: de 17 de maio a 14 de junho de 2019
  • Local: Galeria MaPa – www.galeriamapa.art.br
  • Endereço: Rua Costa, 31 – galeria (Estacionamento cortesia na rua Bela Cintra, 214)
  • Telefone: +55 11 2337 3770
  • Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 10 às 18h30 | Sábados, somente com
    agendamento
  • Número de obras: 13
  • Técnica: Fotografia analógica
  • Dimensões: 30 x 40 cm
  • Preços: R$ 10.000,00