Exposições 3 dias atrás | Redação

O encontro com a natureza nas fotografias de Jorge Brivilati

A floresta mística indica caminhos possíveis para uma reconexão do ser humano com ele mesmo

por Revista FHOX

Até o dia 14 de dezembro, a Art Lab Gallery exibe “Natureza Interior”, primeira mostra individual, no circuito cultural, do artista visual Jorge Brivilati. A curadoria é de Juliana Mônaco que selecionou 24 fotografias representando um recorte do resultado de sua jornada de imersão de 8 dias no Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira – PETAR.

O encontro do artista com a natureza e a possibilidade de se reconectar com seu “eu”, fez com que, na busca pelas cavernas profundas, em locais de vegetação quase virgem e intocada, envolto pela escuridão, Jorge Brivilati se encontrasse novamente com sua luz. 

“A floresta, serviu de espelho – eu me enxerguei nela”, declara o artista que consegue registrar, em imagens, as cores, a temperatura, a imersão e o encantamento existentes no local. Sua preferência pela cor das folhas secas, pelo amarelo, pelo quente, está presente nas imagens que geram uma distopia cromática, anunciando o equivalente ao um portal.

Jorge Brivilati

A possibilidade de estar envolto pelo silêncio da floresta, um local com energias purificadoras de acordo com o artista, acompanhado de sua câmera e todo equipamento fotográfico, realiza um antigo desejo. Mas a busca não era apenas por qualquer registro imagético. 

Estudos e atenção a detalhes e características do local foram influenciadores diretos no resultado; o projeto fez com que a sua volta encontrasse mais de 350 cavernas, inúmeras cachoeiras, trilhas, comunidades tradicionais e quilombolas, sítios arqueológicos, paleontológicos escondidos entre vales e montanhas em área de mata preservada.

Leia também: Como planejar sua carreira para 2020? (Dicas)

“Eu precisava encontrar um formato que dimensiona melhor a floresta e as cavernas, e que, ao mesmo tempo, funcionasse como um portal. Percebi que o melhor modo de apresentar as cavernas era na vertical e, ao longo do ensaio, confirmei que esse formato se transforma numa verdadeira porta”, define Brivilati.

Jorge Brivilati

A série em exposição é algo a mais do que apenas registros de cenas da natureza. As possibilidades, na fotografia, se apresentam como infinitas e o fotógrafo soube utilizá-las para concluir sua busca. Municiado de duas câmeras e inúmeras lentes, Jorge Brivilati foi em busca de sua verdade. 

Grande parte das fotos são de longa exposição com tripé; essa foi a forma escolhida para transmitir a suavidade das luzes duras que irradiam pela mata e a calmaria das águas dos rios, além, dos volumes e formas das cavernas. A representação precisa da natureza em seu estado latente, ou bem próximo a ele, possibilita a conexão do humano com sua essência, com o próprio silêncio que se transmuta em luz.