Concursos 3 anos atrás | Diogo Amorim

Brasileiro vence concurso de fotografia da ONU no Japão sobre desenvolvimento sustentável

A foto disputou com outras 1 mil imagens de 73 países.

por Revista FHOX

reciclagem-e1508869656405
A foto intitulada “Mulher de COOCASSIS” é a vencedora do Concurso de Fotografia. Foto: Luis Gustavo Cavalheiro

Uma coletora de lixo da cidade de Assis, no interior de São Paulo, protagonizou a foto vencedora de um concurso universitário mundial de fotografia promovido pelas Nações Unidas no Japão. O clique é do brasileiro Luis Gustavo Cavalheiro, de 21 anos, primeiro colocado no Concurso de Fotografia sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de 2017, lançado pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Japão (UNIC Tóquio) e pela Universidade de Sophia.

O Concurso de Fotografia sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de 2017, foi lançado pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Japão (UNIC Tóquio) e pela Universidade de Sophia.

Estudante de História, Cavalheiro é de Paraguaçu Paulista, interior de São Paulo, e se interessou por fotografia há cinco anos, quando começou a aprender técnicas assistindo a vídeos na Internet, antes mesmo de ter uma câmera. Em entrevista ao Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), ele contou que, com a ajuda da irmã, conseguiu comprar uma máquina fotográfica e passou a trabalhar como “freelancer”.
Luis_Cavalheiro-e1508869954441

Luis Gustavo Cavalheiro, de 21 anos, foi o autor da foto premiada. Foto: Acervo Pessoal

A foto premiada, intitulada “Mulher de COOCASSIS”, retrata uma das trabalhadoras da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Assis (COOCASSIS), iniciativa autogerida cujo propósito é incluir catadores e outros trabalhadores desempregados e que recebe assessoria de professores e estagiários da Universidade Estadual Paulista (UNESP).

A fotografia faz parte de uma exposição organizada pela iniciativa da qual Cavalheiro faz parte, a Contemporânea — Empresa Júnior de História. Sem fins lucrativos e administrada por estudantes, a empresa busca quebrar barreiras entre a universidade e as comunidades locais.

“Procurei retratar a vida diária dessas coletoras na cooperativa, para que a foto pudesse ser usada como mecanismo para conscientizar sobre a importância de seu trabalho”, afirma Cavalheiro.

“Vencer um concurso da ONU carrega um peso muito grande para mim. Além de trazer reconhecimento ao meu trabalho como fotógrafo, o que me deixa mais feliz é saber da visibilidade que trará ao trabalho dessas coletoras e coletores de recicláveis. Que sirva como forma de conscientização e traga valorização por parte da sociedade local.”

Além de um prêmio em dinheiro, um kit de lentes Nikon, produtos dos ODS e dois livros de fotografia, o estudante foi convidado a a cerimônia de premiação, que ocorreu nesta terça-feira (24), em Tóquio.

“Essa é a minha primeira viagem internacional. Está sendo tudo novo e diferente para mim, por isso, estou bastante ansioso e animado com a viagem. Sempre fui apaixonado pela cultura oriental e esta será uma ótima oportunidade para conhecê-la de perto.”

Para ele, a foto representa três objetivos globais, o ODS número 5, que trata da igualdade de gênero — uma vez que as mulheres da cooperativa passam a ser protagonistas de sua vida financeira; e o ODS número 8, que trata de crescimento econômico inclusivo e do trabalho decente — já que a cooperativa é um ambiente seguro para as trabalhadoras e possibilita sua ascensão econômica.

Outro ODS mencionado é o de número 15, que trata da vida na terra, uma vez que o trabalho realizado na cooperativa tem um impacto direto e positivo sobre o meio ambiente. Ele lembra que, em um mundo cada vez mais consumista, a reciclagem se torna ainda mais necessária.

Outros dois brasileiros estão entre os autores das dez melhores fotos do concurso. Liz Dórea, pela foto “Bond” e João Athaíde, por “Mulher Quilombola”. Com 184 imagens enviadas, o Brasil foi o segundo país com o maior número de inscrições, perdendo apenas para o Japão.